Lançamento do livro "Sartre ou o Inconsciente como Álibi"

Roberto B. Graña realiza sessão de autógrafos da obra nesta quinta-feira (30/5), às 19h, na Biblioteca Pública do Estado

O segundo volume da trilogia A Psicanálise e a Crítica Filosófica, iniciada com Heidegger ou as Vicissitudes da Destruição (2016), traz Jean-Paul Sartre (1905 – 1980) como tema principal. Sartre ou o Inconsciente como Álibi é o novo livro do psicanalista Roberto B. Graña, que terá lançamento e sessão de autógrafos nesta quinta (30/5), a partir das 19h, na Biblioteca Pública do Estado.

A publicação trafega na influência de Sartre na vida do autor, bem como em sua formação como psicanalista.

– A psicanálise do novo século está, parece-me, pronta para redescobrir Sartre – afirma o escritor.

Ao mesmo tempo em que o texto remonta às lembranças dos sentimentos do autor quando da morte de Sartre, em abril de 1980, a obra tenta mostrar como a crítica de Sartre sobre diferentes pontos da teoria e da clínica psicanalíticas estavam corretamente endereçadas para a forma que a psicanálise assume hoje em seu período dito pós-estruturalista.

São muitos questionamentos – de Graña e de outros autores – que perpassam o livro: teria Sartre sido apenas um filósofo do seu tempo? Estaria ele tão ligado aos acontecimentos pontuais do mundo de sua época que sua filosofia se tornou ultrapassada logo ali adiante? Ou seria ele um pensador burguês, um teórico elitista, como consideravam os marxistas?

Roberto Graña é membro titular e analista didata da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre, full member da International Psychoanalytical Association, doutor em Letras pela UFRGS e pós-doutor em Filosofia e Psicanálise em Paris VIII.

Quinta 19h

Biblioteca Pública do Estado (Rua Riachuelo, 1190)

Entrada franca