Instituto Ling anuncia espetáculos selecionados no edital Ponto de Teatro 2019

Projeto que visa apoiar as artes cênicas de Porto Alegre aporta R$ 20 mil para montagens inéditas. Os selecionados são "2068", "Criaturas da Literatura" e "Sambaracotu"

O Instituto Ling anunciou os espetáculos selecionados no edital da segunda edição do Ponto de Teatro – projeto que visa impulsionar a produção de artes cênicas no Rio Grande do Sul, apoiando e garantindo espaço às produções locais. O edital, encerrado no início desse mês, recebeu mais de 60 inscrições de espetáculos inéditos, nas categorias teatro e dança, que foram avaliados por uma Comissão de Seleção formada pelo curador Renato Mendonça, o gestor cultural e curador de artes cênicas Alexandre Vargas e o dramaturgo Décio Antunes.

Os escolhidos foram: 2068, criação do Máscara Encena com direção de Liane Venturella, o infantil Criaturas da Literatura, dirigido por Alexandre Fávero, e o espetáculo de dança Sambaracotu, de Alvaro RosaCosta, Carlota Albuquerque e Simone Rasslan.

Os espetáculos escolhidos realizarão suas temporadas de estreia no Instituto Ling durante o segundo semestre do ano. O edital garantiu aos selecionados apoio financeiro de até R$ 20 mil, além de serviços de montagem, sonorização e iluminação para a produção do espetáculo.

Além dos projetos selecionados via edital, outras três peças inéditas fazem suas estreias no Ponto de Teatro 2019. Em maio, a peça Homem de Lugar Nenhum – com direção de Eduardo Kraemer e atuação de Zé Adão Barbosa e Renato Del Campão – discute política e amor, em uma colagem de textos de autores clássicos e contemporâneos. Em junho, o Sarcáustico encena A Última Peça, em comemoração ao aniversário de 15 anos do grupo, com direção de Gabriela Poester.

Em julho, a Companhia de Solos & Bem Acompanhados traz a atriz Deborah Finocchiaro na montagem Diário Secreto de uma Secretária Bilíngue, que tem direção e dramaturgia de Vinicius Piedade.

– Em um contexto de restrição de espaços, públicos e fontes de financiamento para as artes cênicas, o Ponto de Teatro viabiliza estreias e investe na qualificação do público e na ampliação do campo de reflexão – afirma o jornalista e crítico teatral Renato Mendonça, curador do projeto.

A cada temporada será realizada também uma Oficina de Crítica Teatral, ministrada por Mendonça. Voltada ao público em geral (com idade mínima de 18 anos), a oficina contempla conteúdos teóricos – a história da crítica no Brasil, diferentes formatos, mídia, tecnologia e redes sociais – e a prática da escrita, em que os participantes assistem à peça e desenvolvem um texto crítico, que será publicado em plataforma digital.

Serão seis oficinas, uma a cada espetáculo apresentado na programação, com dois encontros cada uma e seis vagas por turma.