Homem Banda. Foto: Divulgação

18

MAI
HORÁRIOS Sábado das 16h às 22h

Festival Experiência Aberta no Vila Flores

O evento, com diversas atividades culturais, rola neste sábado (18/5), das 16h às 22h, e tem entrada franca

VER GALERIA

Ainda dentro da programação do projeto Vila Flores – Uma Experiência Aberta II, a Associação Cultural Vila Flores promove o Festival Experiência Aberta. O evento eacontece neste sábado (18/5), das 16h às 22h, e tem entrada franca.

– Vamos trazer atividades multiartísticas, valorizando o diálogo entre as artes cênicas e a música – conta Antônia Wallig, coordenadora do projeto.

Entre as atrações, diversão e cultura para todas as idades. A programação começa com a apresentação musical Bonecos da Gente, da Caixa de Elefantes Teatro de Bonecos. Eles farão performances musicais com bonecos de balcão criados pela fusão de gêneros da música negra do Brasil e do mundo.

– Vamos apresentar um recorte, uma bricolagem musical, uma pequena homenagem a biografia de ídolos carismáticos do público – revela Lenon Kurtz.

Logo depois é a vez do Homem Banda subir ao palco. Mauro Bruzza, o intérprete do personagem toca acordeom, chocalhos, pratos, bumbos e apitos – todos juntos e tocados por ele.

– Não é uma banda comum e sim uma banda inteira feita de um homem só. Quem se apresenta é MauroLauroPaulo, um artista inventor que, aliado ao público, traduz sua tamanha inquietude entre um espetáculo e uma parafernália cheia de sonoridades – afirma Bruzza.

A Banda Vēna também participará do festival. Vēna é a expressão de duas mulheres multi-instrumentistas, Amanda Goes e Morena Chagas, que se encontram e se atravessam no centro e nos hemisférios de cada uma. É Morena quem as define:

– Entre instrumentos percussivos, sintetizador e efeitos, duas vozes traduzem uma estética livre de definições.

Para encerrar a grande noite do Festival Experiência Aberta, a cantora, compositora e performer Paola Kirst se apresenta ao lado do KIAI Grupo. Paola busca uma trajetória de experimentação para o uso do corpo e da voz como instrumento de expressão poética. Em suas canções aborda o cotidiano vivenciado pelo olhar feminino, experimental e faminto de uma artista. 

Sábado das 16h às 22h

Vila Flores (Rua Hoffmann, 459)

Entrada franca