Matinal assinantes

Cena do filme "A Bicicleta do Vovô". Foto: Divulgação

Prorrogadas as inscrições para a 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos

Foram prorrogadas até o dia 24 de maio as inscrições para o Circuito Difusão do festival de filmes

VER GALERIA

Foram prorrogadas até o dia 24 de maio as inscrições para o Circuito Difusão da 12ª Mostra Cinema e Direitos Humanos. O Circuito Difusão é uma extensão da mostra, realizada nos meses de novembro e dezembro de 2018 em todas as 27 capitais do país e no Distrito Federal. O objetivo do circuito é envolver o público situado fora do alcance do circuito principal do evento, com o apoio de Pontos de Difusão nos distintos municípios do Brasil.

Serão selecionados mil pontos de exibição em todo o país e no Exterior para receberem kits com sete filmes selecionados da mostra. Após os locais de exibição serem selecionados por convocatória pública, os filmes são enviados, gratuitamente, às instituições habilitadas.

Podem participar associações de bairros, bibliotecas, cineclubes, institutos federais de educação profissional, científica e tecnológica, museus, pontos de cultura, sindicatos, telecentros, unidades de ensino da educação básica, unidades do “Sistema S”, universidades, embaixadas e consulados brasileiros. Não há previsão de contrapartida financeira para as instituições selecionadas.

Para participar do projeto, as instituições devem declarar que possuem espaço apropriado e acessível para a realização de sessões em formato digital, equipamentos necessários à exibição (aparelho de DVD, projetor e sonorização), capacidade para organizar as sessões, divulgar o projeto em sua localidade e mobilizar público. As inscrições devem ser feitas online. A lista das instituições selecionadas será divulgada dia 7 de junho.

A finalidade principal do circuito é criar acesso àqueles que por razões geográficas ou econômicas são privados de usufruir os produtos culturais, normalmente concentrados nos grandes centros urbanos em nosso país.

– A proposta é levar o cinema ao encontro de sua plateia, e não o contrário – comenta Luciana Boal, vice-presidente do instituto Cultura em Movimento, que produz o circuito, idealizado pelo Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos, com realização do Ministério da Cidadania.

Outro papel importante desse circuito, além de capacitar e valorizar os produtores culturais locais, agentes do projeto, é o da formação de novas plateias, ampliando o olhar e a percepção destes novos espectadores sobre os temas propostos pelas obras.