Matinal assinantes

Animações, fantasia, horror e comédias nas mostras competitivas 15º Fantaspoa

O festival que acontece entre 16 de maio e 2 de junho terá além das mostras, oficinas, sessões comentadas, rodada de negócios, madrugadão, festas e muito mais

O Fantaspoa 2019 vai apresentar mais de 100 filmes, dos quais mais de 60 são longas-metragens, que representam 25 países, reforçando o caráter internacional do festival. Destes, 34 serão exibidos em première-latino americana e seis em première mundial. A seleção foi feita com base em mais de 900 filmes inscritos para esta edição.

Três personalidades do cinema mundial serão os homenageados desta edição: a atriz Christina Lindberg, de Thriller, o roteirista Larry Wilson, que escreveu, dentre outros, A Família Addams e Os Fantasmas se Divertem e um dos maiores produtores da história, Roger Corman, que dirigiu mais de 50 filmes, produziu 415 e segue na ativa aos 93 anos de idade.

Na quinta (16/5), a abertura do 15º Fantaspoa será marcada pelas premières mundiais de Deodato Holocaust, de Felipe M. Guerra, e The Mongolian Connection, de Drew Thomas. O primeiro é um documentário sobre o mestre italiano Ruggero Deodato – que estará presente na sessão celebrando seu aniversário de 80 anos – e o segundo é uma obra de thriller repleta de ação realizada na Mongólia.

O encerramento da edição se dará com a primeira exibição pública mundial de The Fear of Looking Up. Dirigida pelo grego Konstantinos Koutsoliotas e com produção da Melancholy Star e da Fantaspoa Produções, a obra gira em torno de uma policial que busca um assassino e perde sua amante, envolvendo-se em uma temerosa atmosfera de vingança e loucura.

Além das exibições, das quais, 35 serão comentadas e contarão com a presença de mais de 60 convidados internacionais, muito do Fantaspoa acontece fora da sala de cinema, em eventos paralelos, incluindo a exposição de Wesley Rodrigues, festas com karaokê, shows e festa de abertura à fantasia e de encerramento, que será um baile de máscaras a bordo do Cisne Branco.

O festival terá este ano a segunda atividade do Fantasmercado, que teve 36 submissões e selecionou 15 projetos. E mais: ao longo dessas duas semanas, haverá seis atividades de formação, incluindo masterclasses de Larry Wilson e Roger Corman, três sessões musicadas ao vivo, a segunda edição do madrugadão e a mostra itinerante em escolas de baixa renda da região metropolitana. 

Cinco filmes oriundos de diversos países, que fazem uso de diferentes técnicas de filmagem e cuja característica comum é o forte cunho autoral estão presentes na programação. Trata-se de um rico panorama da produção fílmica mundial em animação, bastante diverso das obras de grandes estúdios que atualmente ocupam a maioria das salas de cinema. A Casa Lobo, multipremiado e seleção da prestigiada Berlinale, é um ótimo exemplar da América Latina.

Da China, S He foi realizado a partir de 58 mil fotos e criado basicamente a partir de lixo, em uma afiada crítica a uma sociedade patriarcal. Seder-Masochism, de Nina Paley, faz uso da animação clássica para narrar episódios bíblicos de maneira cômica e absurda, em uma obra exibida em Sitges e Annecy, enquanto o diretor japonês Ujicha usou a incrível técnica gekimation em seu Violence Voyager. Por fim, Laika, da República Tcheca, é um stop-motion com massinha que dá um novo destino à cachorrinha russa que foi enviada ao espaço.

Apresentando mais uma leva de longas-metragens, quatro títulos do gênero fantasia: O Portal, da Ucrânia, sobre uma excêntrica família que vive na zona de exclusão de Chernobyl e que rendeu a Irma Vitovskaya o troféu de melhor atriz na premiação máxima do cinema de seu país; A Lenda do Gato Chinês, uma aventura fantástica, produção sino-japonesa, situada na dinastia Tang e dirigida por Chen Kaige, de Adeus, Minha Concubina, exibida em festivais de renome, como o de Toronto e de Seattle.

Explorando lendas e elementos de suas respectivas culturas locais, serão exibidos O Assoviador e O Último Guerreiro. O primeiro, uma produção da Venezuela, México e EUA e vencedora de diversos prêmios no Festival del Cine Venezolano 2018, é centrado em uma lenda folclórica que devora bêbados, infiéis e crianças, enquanto o segundo narra as aventuras de um jovem numa terra medieval fantástica habitada por personagens de contos de fadas russos – em uma peculiar realização da Disney na Rússia.

Exibido no FrightFest, O Livro dos Monstros faz uma certeira mistura de comédia e horror, na história de uma festa de aniversário que é invadida por bizarros monstros assassinos; e Ecos do Medo, dos Estados Unidos e premiado como melhor filme no Shriekfest, descende ao horror contando sobre uma garota que enfrenta o sobrenatural numa casa recém-herdada. Marcando o retorno de Christina Lindberg ao cinema após mais de 30 anos, Círculo Negro, de Adrián García Bogliano, narra sobre um misterioso disco de vinil que gera um doppelganger de seus ouvintes.

Rodado na zona rural de Cuba, É Você, Papai?, que deu a Gabriela Ramos o prêmio de melhor atriz no Oldenburg Film Festival, conta sobre uma filha que realiza um ritual de magia negra para ressuscitar seu pai - gerando consequências desastrosas. Em première ibero-americana no Fantaspoa, Bloodline - seleção oficial do Fantastic Fest 2018 - trata de um professor de periferia, interpretado pelo famoso Seann William Scott, que decide proteger seus alunos como pode: matando os pais que os maltratam. Também estreando na ibero-américa durante o evento, o hilário Comando Ninja, da França: uma verdadeira carta de amor aos filmes de ação dos anos 1980, que abusa de monstros invisíveis, cortes absurdos, personagens másculos com roupas curtas numa história sem sentido.

Tradicionais personagens do horror, os zumbis são tema principal em dois títulos da seleção: o multipremiado filme chinês Perdidos no Apocalipse, sobre um grupo de desconhecidos que está num luxuoso hotel infestado por mortos-vivos; e Infecção, que acompanha a jornada de um médico em busca de seu filho por uma Venezuela destruída - uma rara produção de gênero deste país, e que faz um triste paralelo com a situação caótica que a nação vive atualmente.

Produções alemãs, Ingenium e Novo Fim terão suas premières ibero-americanas no Fantaspoa. O primeiro, vencedor de diversos prêmios no circuito de festivais, conta a história de uma garota que retorna a sua casa após uma experiência traumática na Tailândia - para encontrar uma vida diferente daquela que se recorda, fazendo-a questionar sua sanidade. Novo Fim é uma fantasia pós-apocalíptica ambientada num mundo governado por tiranos e foi exibida na edição passada do prestigiado Festival de Cinema de Munique.

 

15º Fantaspoa

De 16 de maio a 2 de junho

Exibições: Cinemateca Capitólio (Rua Demétrio Ribeiro, 1085) e Sala Redenção - Cinema Universitário (Avenida Paulo Gama, 110 - Campus Centro UFRGS).

Cursos: Centro Cultural Erico Verissimo (Rua dos Andradas, 1223)