Matinal assinantes

Susan Mendes. Foto: Divulgação

04

MAI

01

JUN
HORÁRIOS Seg a sex das 9h às 18h45min
Sab das 9h às 13h

Projeto Arte para Todos Delphus apresenta exposição de Susan Mendes

Neste sábado (4/5), a Delphus Galeria abre suas portas para inauguração da mostra “Paralelo Feminino”, com obras da artista e curadoria de Rita Raimondi

VER GALERIA

Neste sábado (4/5), a Delphus Galeria abre suas portas para a abertura da mostra Paralelo Feminino com obras da artista Susan Mendes e curadoria de Rita Raimondi. A exposição integra o projeto Arte para Todos Delphus, que promove mostras individuais e live paitings com os artistas da galeria.

A iniciativa pretende aproximar o público do ambiente da galeria e dos artistas. Nesta edição, a identidade, libertação e o emponderamento feminino pautam a seleção de 22 obras da artista caxiense.

Susan estará produzindo uma obra ao longo da abertura da exposição, que contará com modelo vivo, das 11h às 15h.

– Essa é uma oportunidade para todos os interessados em acompanhar o processo de criação do artista. Entender como funciona o trabalho artístico, poder assistir o preparo de uma tela, é uma oportunidade que poucas pessoas têm e é uma maneira de entender mais sobre arte – afirma a diretora da galeria, Salete Salvador.

Com curadoria da italiana Rita Raimondi, a mostra contará com obras que questionam a busca pela perfeição estética e autoestima feminina.

– As concepções de beleza estão diretamente ligadas a qualquer tipo de consumo onde tentamos achar uma solução para as nossas insatisfações. Este vazio pessoal é quebrado através da aceitação de viver o próprio corpo em plena liberdade: com ou sem soluções e intervenções. Autoestima feminina começa com a aceitação do próprio corpo e o padrão ideal da beleza feminina não existe. É dessa liberação que tratam as obras de Susan – conta Rita.

As figuras aparecem em proporções mais “humanas” e o uso do papelão corrugado, coletado como descarte nas ruas, é uma metáfora sobre o descarte do que não serve mais como padrão, ou seja, uma mulher fora dos padrões é descartada, assim como caixas de papelão usadas.

– O uso dos materiais e os títulos são especialmente importantes para mim, muitas vezes fazendo menção a poemas e músicas. Os jornais me remetem à fugacidade do tempo. No processo de lixar e rasgar o papelão busco revelar o que está “por trás”, o que está escondido lá no fundo de nossas almas. Essas mulheres não estão nuas, mas despidas, desnudas do peso das convenções sociais, da intolerância, dos preconceitos e de tudo que as aprisiona e esmaga – revela Susan.

– As mulheres da Susan são mães, amantes, filhas, trabalhadoras e donas de casa; são tão diversas mas iguais no mesmo tempo. Todas com o lado humano e sentimental em comum e paralelo em uma sociedade onde elas se tornam sempre mais fortes e livres para expressar a própria feminilidade – declara a curadora.

Uma vitrine, montada especialmente para a mostra, também integra as atrações desta edição do Arte para Todos Delphus, além de um bate-papo sobre autoestima, libertação e mulheres, promovido na galeria na terça (28/5), com participações que serão divulgadas em breve.

Seg a sex das 9h às 18h45min, Sab das 9h às 13h

Delphus Galeria (Avenida Cristóvão Colombo, 1093)

Entrada franca