Matinal assinantes

Foto: Divulgação

28

MAR
HORÁRIOS Quinta 19h

Simões Lopes Neto é tema de lançamentos e painel promovido pelo IEL em Pelotas

O Instituto Estadual do Livro promove nesta quinta-feira (28/3), às 19h, dois lançamentos de livros e uma mesa-redonda no Instituto João Simões Lopes Neto

O Instituto Estadual do Livro (IEL), instituição da Secretaria de Estado da Cultura do RS, promove nesta quinta (28/3), ás 19h, dois lançamentos de livros e uma mesa-redonda em homenagem a Simões Lopes Neto (1865 – 1916), em Pelotas, terra natal do escritor. O evento será realizado no Instituto João Simões Lopes Neto e tem entrada gratuita.

Haverá lançamento das publicações Lendas do Sul – Edição Ilustrada, editado pelo IEL e Editora da UFRGS, e Teatro Completo de Simões Lopes Neto, pela Editora Movimento. Na ocasião haverá um painel sobre a obra de Simões Lopes Neto, com a participação dos professores Márcio de Souza (UFPel) e Paula Mastroberti (UFRGS).

 

João Simões Lopes Neto

Nasceu em Pelotas no dia 9/3/1865, em um período marcado pelo início da era da velocidade, do progresso e da máquina. Passou a infância morando na Estância da Graça, propriedade de seu avô paterno.

Sua cidade natal estava então em franco desenvolvimento, tendo em 1872 uma população de 21 mil habitantes – a cidade de São Paulo, nesse mesmo ano, contava 31 mil habitantes. Em 1877 ou 1878, é levado ao Rio de Janeiro com o propósito de completar os seus estudos – lugar onde, segundo Ligia Chiappini, “deve ter lido os clássicos, aprendido francês e latim”.

Retornando a Pelotas em 1884, inicia sua carreira jornalística, em 1888. Aos 28 anos conclui a sua primeira peça teatral, O Boato, e intensifica, nos anos seguintes, sua produção intelectual.

Dotado de perfil cosmopolita, humanista e empreendedor, dedica-se a temas diversos, a exemplo da história de seu Estado (Terra Gaúcha) e cidade (Revista do 1º Centenário de Pelotas), antes de publicar suas principais criações: Contos Gauchescos (1912) e Lendas do Sul (1913). Vindo a falecer em Pelotas, no dia 14/7/1916, deixou muitos manuscritos – entre os quais diversas peças teatrais inéditas e outras já representadas com grande êxito nos teatros de uma cidade que era reconhecida como um importante polo cultural do país.

Quinta 19h

Instituto João Simões Lopes Neto (Dom Pedro II, 810 | Pelotas)

Entrada franca