Foto: Laura Aldana/Divulgação

Formada a Universidade Popular dos Movimentos Sociais – Vozes da Periferia

A UPMS surge para articular os conhecimentos diversos, fortalecendo novas formas de resistência e contribuindo para a reinvenção da emancipação social

VER GALERIA

Por meio da convocação aos movimentos sociais do Rio Grande do Sul por parte da Associação da Cultura Hip Hop de Esteio –entidade gestora da Casa da Cultura Hip Hop de Esteio – e também do IACOREQ, foi criada no último sábado (23/3) a Universidade Popular dos Movimentos Sociais  Vozes da Periferia (UPMS).
 
Em parceria com a Fundação Escola Superior do Ministério Público (FMP) para execução da proposta, como primeiro ato a UPMS dará inicio ao curso de extensão Pedagogias do Sul Global: Aportes para o Diálogo Entre Movimentos Sociais e Saberes Insurgentes, no dia 4 de maio, na sede da FMP – localizada na Rua Cel. Genuíno, 421, no Centro Histórico. Serão abertas 50 vagas gratuitas para o curso de 40h, sendo as aulas todos os sábados das 8h ao meio-dia, com vivências em projetos e comunidades do Estado.

A Universidade Popular dos Movimentos Sociais (UPMS) nasceu no Fórum Social Mundial (FSM) de 2003, espaço de encontro e intercâmbio dos movimentos sociais, por meio de procedimentos metodológicos básicos formulados pelo sociólogo português Boaventura de Sousa Santos. A UPMS surge para articular os conhecimentos diversos, fortalecendo novas formas de resistência e contribuindo para a reinvenção da emancipação social.

Entendida aqui como a base em que projetos plurais transformam relações hierarquizadas, verticais e desiguais de poder em relações dialógicas e interculturais de autoridade partilhada, cujo propósito pretende dirimir ou reduzir os processos de exclusões sociais e econômicas promovidas pelo capitalismo, colonialismo e patriarcado.