Obra da série "Sem Identificação" (2018). Foto: Gilberto Perin/Divulgação

Gilberto Perin realiza duas exposições na Europa

Fotógrafo e artista visual apresenta série inédita na "Exposição de Arte Contemporânea da América Latina", em Genebra, e inaugura individual em Lisboa

Entre o final de janeiro e o início de fevereiro, o artista visual e fotógrafo Gilberto Perin estará na Europa para a abertura de duas exposições. A série inédita Fake Photos – composta de 11 imagens que misturam o conceito de fake fotosfake news e o paradoxo de René Magritte ("A Traição das Imagens") – será exibida em Genebra, na Suíça, a partir do dia 23 de janeiro. Já a série Sem Identificação, que foi exposta no Margs em 2018, entra em cartaz no espaço A Pequena Galeria, em Lisboa, em Portugal, no dia 7 de fevereiro.

A Exposição de Arte Contemporânea da América Latina (Exposition d'Art Contemporain d'Amérique Latine), no Centro de Artes da Ecole Internationale de Genève  Ecolint, vai exibir obras de 13 artistas e coletivos da América Latina até o dia 28 de fevereiro. Perin foi convidado a expor na Ecolint após participar, no ano passado, de um projeto em parceria entre o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), sua Associação de Amigos (Aamargs) e a escola da Unesco.

O projeto Travessia propiciou um intercâmbio cultural entre estudantes gaúchos e suíços e artistas convidados. Além de Perin, outros dois artistas gaúchos que participaram do projeto também terão seus trabalhos expostos na Ecolint: o artista plástico Britto Velho e o fotógrafo Nilton Santolin.

Em Fake Photos – seu trabalho mais recente –, o artista traduz suas inquietações sobre a autenticidade e a veracidade das imagens produzidas, além de fazer uma reflexão sobre o atual momento político no Brasil e suas relações com as fake news: ao carimbar as imagens com as palavras "Fake Photos", Perin nega tudo aquilo que apresenta.

– A relação das minhas fotografias com essa temática me fez pensar sobre as fake news e, no meu caso específico como fotógrafo, nas fake photos. Afinal, o que é arte contemporânea? A fotografia pode ser vista como arte? Os carimbos chamam a atenção sobre se o que vemos na realidade é somente uma imagem ou é aquilo que queremos ver – explica.

A série Sem Identificação é uma crítica irônica e reflexiva do momento atual – repleto de informações e mensagens visuais. O fotógrafo –junto aos modelos que posaram nus – produziu imagens icônicas, inspiradas em obras de arte conhecidas, e outras que surgiram espontaneamente no momento do ensaio fotográfico.

Nas 25 fotografias que compõem a série, os corpos aparecem sem cabeças – efeito obtido apenas com o enquadramento da câmera.

– A falta da cabeça e a ausência do olhar causa certo estranhamento e passa a significar uma identidade perdida, levando-se em conta que a cabeça é o centro de tudo: das emoções até a decisão da nossa vida ou morte. Em tempos de selfies, Sem Identificação tem concepção simples e direta, onde a nudez é apenas a parcela aparente daquilo que não é revelado sobre a nossa identidade e pensamento – afirma o artista.

Gilberto Perin nasceu em Guaporé/RS, vive e trabalha em Porto Alegre. Formado em Comunicação Social pela PUCRS, é fotógrafo, diretor de cena e roteirista.

Tem dois livros publicados: Camisa Brasileira (2011) e Fotografias para Imaginar (2015). Suas obras são publicadas em livros, jornais e revistas brasileiras e do Exterior, e fazem parte de acervos de museus, entidades culturais e coleções particulares.

Entre suas exposições individuais, destacam-se: Linha d'Água e Sem Identificação (2018) no Margs; Fotografias para Imaginar (2013 e 2015), no Instituto dos Arquitetos do Brasil e Pinacoteca Aldo Locatelli, as duas em Porto Alegre; Vestiário (2013), no Museu do Futebol de São Paulo; Camisa Brasileira (2010 a 2018), Porto Alegre, no interior do Rio Grande do Sul, na França e na Itália; e Conexões Infinitas (2009), no Centro Cultural Erico Verissimo, em Porto Alegre.

Participou também de exposições coletivas, como Queermuseu (2017 e 2018), em Porto Alegre e no Parque Laje, no Rio de Janeiro; A Fonte de Duchamp, 100 Anos de Arte Contemporânea, Margs, Porto Alegre; Objectif Sport (2016), circuito internacional da Aliança Francesa, em Porto Alegre, na Galeria La Photo; Manifesto: Poder, Desejo, Intervenção (2014), Margs, Porto Alegre; The Beautiful Game: O Reino da Camisa Amarela (2014), Museu dos Direitos Humanos do Mercosul, Porto Alegre; De Humani Corporis Fabrica, Margs, Porto Alegre; e Cromo Museu (2012), Margs, Porto Alegre.

 

Serviço:

Exposição Fake Photos

Exposition d'Art Contemporain d'Amérique Latine

De 23 de janeiro a 28 de fevereiro de 2019

Abertura para convidados: dia 23 de janeiro, às 18h

Visitação: de segundas a sextas, das 9h às 18h

Entrada franca

Local: Centre des Arts – École Internationale de Genève  Ecolint

Campus La Grade Boissiére  62, route de Chêne, CH-1208 – Genebra/Suíça

https://www.centredesartes.ch

 

Exposição Sem Identificação

De 7 de fevereiro a 8 de março de 2019

Abertura para convidados: 7 de fevereiro de 2019, às 18h

Visitação: de quartas a sextas, das 18 às 20h; sábados das 16h às 20h. Para outros horários, agendar diretamente por telefone com a galeria

Entrada franca

Local: A Pequena Galeria

 Av. 24 de Julho 4C, 1200-109 – Lisboa / Portugal

http://apequenagaleria.com/