Matinal assinantes

Foto: Dulce Helfer/Divulgação

20

NOV

17

FEV
HORÁRIOS Ter a dom das 10h às 19h

Dulce Helfer mostra suas fotos no Margs

O lançamento do livro e a abertura da exposição "Poesia Líquida – Águas do Rio Grande do Sul" serão nesta terça-feira (20/11), às 19h, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli

VER GALERIA

A fotógrafa Dulce Helfer mostra ao público o projeto Poesia Líquida, com curadoria de Zoravia Bettiol. A exposição reúne 86 imagens da profissional, retratando as águas do Rio Grande do Sul com toda a magia, beleza e lembrança da necessidade de preservá-las.

A abertura será nesta terça (20/11), às 19h, no Margs, com entrada franca. A expoisção fica aberta ao público até 17 de fevereiro.

Desta vez, Dulce Helfer surpreende com emoções que literalmente saltam aos olhos com o recurso Realidade Aumentada (RA) em parte das fotos, que permite ao público através de um aplicativo ouvir o som da água, bem como ver pássaros voando, borboletas, água correndo e muito mais. Para utilizar o recurso, basta instalar no celular ou tablet o aplicativo da exposição, disponível para iOS e Android. Na busca, é preciso digitar "Dulce Helfer", depois é só identificar as obras com a interatividade, se posicionar em frente e curtir as surpresas proporcionadas.

A individual também conta com recursos de acessibilidade, como audiodescrição, vinculado a oito obras e painéis.

– Há equilíbrio e precisão nas composições plásticas da fotógrafa conquistadas pelo seu talento e trabalho constante. Há uma série de composições de detalhes da natureza que produzem belas texturas como os reflexos de sol em pedras submersas, a verticalidade gráfica dos juncos e a espuma causada pela poluição na água do esgoto. A exposição é um convite ao espectador para refletir sobre a natureza e como temos obrigação de respeitá-la e preservá-la, para que possamos viver melhor no planeta Gaia – explica a curadora Zoravia Bettiol.

A preocupação com o meio ambiente é uma característica de Dulce, que já realizou exposições sobre a Amazônia, mostrando a relação das pessoas com a floresta.

– Dessa vez quis lembrar o Rio Grande do Sul. Ainda há tempo de conservar o que o homem está destruindo. Onde não há água, não há vida. Que as imagens que estão nesta Poesia Líquida ajudem a lembrar que a natureza é generosa, dando-nos alimento e beleza, mas que a humanidade precisa acordar do torpor em que se encontra para conservar o bem finito que escorre em suas, em nossas mãos – lembra a fotógrafa.

Ter a dom das 10h às 19h

Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli (Praça da Alfândega, s/nº)

Entrada franca