Pedro Gadanho. Foto: Pedro Guimarães/Divulgação

13

OUT
HORÁRIOS Sábado 17h

Fundação Iberê Camargo promove seminário sobre Álvaro Siza

Neste sábado (13/10), às 17h, a instituição cultural dá início ao evento, com o propósito de investigar a obra do arquiteto português. A entrada é franca, com inscrições prévias

Neste sábado (13/10), às 17h, a Fundação Iberê Camargo dá início ao seminário Em Torno de Álvaro Siza, com o propósito de investigar a obra do arquiteto português – um dos mais aclamados nomes da arquitetura contemporânea, criador do projeto do edifício sede da instituição –, além de refletir sobre as relações entre arquitetura e arte. As inscrições estão abertas e podem ser feitas gratuitamente neste link.

A atividade, que marca a celebração dos 10 anos da sede da fundação, vai trazer arquitetos, pesquisadores e curadores nacionais e estrangeiros para uma série de encontros em outubro. O primeiro convidado é Pedro Gadanho, arquiteto, curador e diretor do MAAT – Museu de Arte, Arquitetura e Teconologia, em Lisboa, Portugal.

Partindo de três museus desenhados por Álvaro Siza e do edifício do MAAT – da arquiteta britânica Amanda Levete –, Gadanho explora o tema O Museu entre Arte e Arquitetura, traçando um retrato dos encontros e desencontros destas duas disciplinas no museu contemporâneo. Abordando a criação de espaços para as artes visuais e a apresentação da arquitetura no contexto do mundo da arte, Gadanho faz uma reflexão geral sobre a praxis arquitetônica enquanto produção cultural e discurso crítico.

Para Bernardo José de Souza, curador do seminário, “a arquitetura, o planejamento urbano e práticas artísticas como a fotografia, a escultura, a instalação, a performance, a dança e o ativismo impactam profundamente as tramas simbólicas, o tecido social e as feições das cidades e do mundo contemporâneo. É um terreno fértil para conversas acerca das estruturas visíveis e invisíveis que permeiam a produção cultural”.

Pedro Gadanho é curador, autor e arquiteto. É o Director do MAAT, o novo Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia, em Lisboa. Foi curador de arquitetura contemporânea no Museu de Arte Moderna, em Nova York, onde coordenou o Young Architects Program e organizou exposições como 9+1 Ways of Being Political, Uneven Growth, Endless House e A Japanese Constellation. Foi codirector da ExperimentaDesign, comissariou Metaflux (representação portuguesa na Bienal de Veneza de Arquitetura) e foi curador de mostras como Space Invaders, Post.Rotterdam e Pancho Guedes, Um Modernista Alternativo. Foi o editor do bookazine Beyond, Short-Stories on the Post-Contemporary, do blog Shrapnel Contemporary e contribui regularmente para publicações a nível internacional. Mestre em arte e arquitetura e doutorado em arquitetura e mass-media, é o autor de Arquitetura em Público, Prémio FAD de Pensamento e Crítica em 2012.

Álvaro Siza é um dos arquitetos contemporâneos mais importantes e premiados do mundo. Nascido em Matosinhos/Portugal, em 1933, é conhecido por sua arquitetura escultórica, descrita como "modernismo poético". Quando foi agraciado com o Prêmio Pritzker em 1992, Siza foi creditado pelo júri como um sucessor dos primeiros modernistas, por "suas formas simples, moldadas pela luz”.

A sede da Fundação Iberê Camargo, inaugurada em 30 de maio de 2008, foi projetada por ele. Primeira obra do arquiteto no Brasil, o projeto recebeu mérito especial da Trienal de Design de Milão, o Leão de Ouro da Bienal de Arquitetura de Veneza em 2002 e o Mies Crown Hall Americas Prize em 2014, prêmios, até então, inéditos para a América do Sul.

Sábado 17h

Fundação Iberê Camargo (Avenida Padre Cacique, 2000)

Entrada franca