Matinal assinantes

Foto: Maí Yandara/Divulgação

30

AGO

09

SET
HORÁRIOS Quin a sab às 20h
Dom 18h

Instituto Goethe apresenta "Pátria Estrangeira/Fremde Heimat"

O espetáculo, uma coprodução Brasil e Alemanha, tem apresentações em Porto Alegre de 30 de agosto a 9 de setembro. A partir de 20 de setembro, a peça será encenada em Karlsruhe, na Alemanha

Estreia nesta quinta (30/8), às 20h, no teatro do Instituto Goethe, o espetáculo Pátria Estrangeira/Fremde Heimat, uma coprodução da ATO cia.cênica, Primeira Fila Produções e Badisches Staatstheater Karlsruhe. A temporada de estreia mundial da produção, que conta com elenco e equipe brasileiro e alemão, segue em Porto Alegre até o dia 9 de setembro, seguida por apresentações em Karlsruhe, na Alemanha, a partir do dia 20 do mesmo mês.

O projeto tem financiamento do Fundo de Cultura Federal Alemão Kulturstiftung des Bundes em parceria com o Goethe-Institut. Os ingressos podem ser adquiridos online ou no local, uma hora antes do espetáculo.

Pátria Estrangeira/Fremde Heimat é uma direção e baseado na pesquisa da diretora Mirah Laline, com pesquisa e texto do autor Jürgen Berger, construída em colaboração com elenco, equipe e direção e direção de dramaturgia de Jan Linders. O elenco é formado pelos brasileiros com raízes e descendências germânicas, Philipe Philippsen, Camila Falcão, Martina Fröhlich, Karin Salz Engel e Thomas Prenn – alemão de família austríaca e italiana. O texto conta a história de descendentes de alemães no Brasil, por meio de uma docuficção.

– Foi através de uma pesquisa autobiográfica de cada um dos atores e seus ancestrais, alguns deles vindos da Alemanha, que construímos esse biodrama – conta Mirah.

A partir de uma pesquisa e resgate autobiográficos durante um workshop realizado no primeiro semestre deste ano em Porto Alegre, o autor Jürgen Berger montou a base dos textos do espetáculo. Quatro atores e músicos brasileiros contracenam com um jovem ator de Karlsruhe, na Alemanha.

Temas como ancestralidade, gerações, memória, pertencimento, imigração permeiam questionamentos como: é possível viver duas culturas ao mesmo tempo? Seria Pátria um instrumento do colonialismo? Que semelhanças existem com a recente onda de imigração no Brasil e na Alemanha?

Vídeos e músicas – executadas ao vivo e compostas pelo elenco – são elementos muito marcantes da concepção, segundo a diretora. Ricardo Vivian assina o desenho de luz, Rodrigo Shalako o cenário, Mauricio Casiraghi video e projeções e Déh Dullius os figurinos. Jan Linders é o dramaturgo.

Quin a sab às 20h, Dom 18h

Instituto Goethe (Rua 24 de Outubro, 112)

R$ 40

Mais Informações