Fantaspoa 2018 apresentará mais de cem filmes entre 17 de maio e 3 de junho

​​​​​​​O festival homenageia os diretores Mick Garris e William Lustig, as atrizes Elina Löwensohn e Oldina do Monte e investe no desenvolvimento da indústria cinematográfica latino-americana

VER GALERIA

A 14ª edição do Festival Internacional de Cinema Fantástico de Porto Alegre terá em sua programação 106 filmes, entre longas e curtas-metragens, provenientes de 32 países. Serão mais de cem sessões de exibição, sendo 33 com presença de diretores, produtores, atores ou roteiristas dos filmes apresentados, que conversarão com o público.

Reafirmando o seu foco curatorial e mantendo o compromisso de disponibilizar ao público filmes que dificilmente encontrariam distribuição nacional, 52 longas-metragens serão exibidos pela primeira vez no Brasil durante o Fantaspoa. Desses, cinco terão sua primeira exibição pública no mundo, enquanto que 31 estarão em première latino-americana e 16 em première nacional. As obras já exibidas nacionalmente nunca foram disponibilizadas ao público em nenhum cinema de Porto Alegre.

Em atividade realizada em parceria com o Instituto Goethe, o clássico expressionista Nosferatu (1922) será musicado ao vivo pela banda Skrotes, com entrada franca. A Cinemateca Capitólio abrigará a exposição Frankenstein: 200 Anos do Prometeu Moderno, organizada por um coletivo de artistas capitaneado por Leo Dias de los Muertos e que terá uma sessão musicada especial de Frankenstein (1931), de James Whale, com música criada e executada ao vivo pela banda Quarto Sensorial em colaboração com F_ck the Zeitgeist.

Dando continuidade à iniciativa de difundir o espetáculo cinematográfico, serão realizadas sessões gratuitas em escolas públicas, além de uma oficina gratuita a alunos da rede pública para ensinar a fazer filmes usando ferramentas acessíveis, como o telefone celular. Reforçando sua busca por promover o conhecimento, o Fantaspoa oferecerá nove atividades de formação, que abordarão áreas importantes da realização audiovisual – como roteiro, atuação, direção e produção –, todas ministradas por experientes profissionais com carreira já consolidada na indústria cinematográfica.

Para aproximar o público para além das salas de cinema, o festival passeará pelos mais interessantes locais da boemia porto-alegrense, como 512, Agulha, Dirty Old Man, Hair Home Bar e Mondo Cane, em festas e confraternizações.

A abertura do Fantaspoa será com a première mundial de A Mata Negra, quinto longa de Rodrigo Aragão. A primeira exibição mundial de Pedra da Serpente, longa-metragem de estreia de Fernando Sanches, marcará o encerramento desta edição. A celebração de abertura será no Groova, em um baile de máscaras inspirado no filme De Olhos Bem Fechados (1998), e o encerramento do festival ocorrerá no Cisne Branco, com a festa Toda la Noche en el Barco navegando pelo Guaíba a bordo da tradicional embarcação porto-alegrense.

Grande novidade da edição de 2018, o FantasMercado será um evento de mercado dedicado a conectar projetos e realizadores com potenciais parceiros de produção. Contaremos com a presença de mais de 20 produtores e diretores da Argentina, Brasil, Chile e Peru, que apresentarão pitchings de filmes que estão em desenvolvimento e participarão de mesas de negócio.

O evento contará, ainda, com uma palestra de Daniel Tonacci, assessor de diretoria da Ancine, sobre o panorama das coproduções brasileiras com países da América Latina, abordando os mecanismos atualmente disponíveis aos produtores nacionais e estrangeiros. O objetivo é estender o fomento à produção audiovisual para além do papel de janela de exibição, estimulando que diversos projetos cumpram seu real objetivo: de se tornarem filmes.

Outra novidade do festival é o Madrugadão Fantaspoa, que ocupará a Cinemateca Capitólio na madrugada do dia 26 a 27 de maio. Serão exibidos três longas e dois curtas-metragens inéditos na capital – e, nos intervalos, o público poderá se servir de chope da Cervejaria Bardos e de comidas do Justo, em um ambiente embalado pelo som da DJ Jade Primavera.

 

Homenageados desta edição:

O Fantaspoa homenageará quatro personalidades: a brasileira Oldina do Monte, provavelmente a “Rainha do Grito” com mais idade em atividade e estrela dos filmes do diretor barbosense Felipe M. Guerra; a romena Elina Löwensohn, atriz recorrente nos filmes de Hal Hartley e que trabalhou com nomes como Steven Spielberg, Abdellatif Kechiche e Michael Almereyda, entre outros; e os norte-americanos Mick Garris – cultuado diretor, roteirista e produtor que criou a emblemática série Mestres do Horror, uma reunião dos nomes mais respeitados do cinema de horror – e William Lustig, diretor de filmes cultuados como O Maníaco e Maniac Cop e dono da distribuidora Blue Underground.

Obras brasileiras de bastante projeção internacional, O Animal Cordial e Mal Nosso serão exibidas no Fantaspoa em sessões com debates com os realizadores Gabriela Amaral Almeida e Samuel Galli. O primeiro, um thriller impactante e ensaio cruel sobre o comportamento humano, deu a Murilo Benício o prêmio de melhor ator no Festival do Rio e foi exibido em grandes festivais internacionais. Mal Nosso” que terá sua primeira exibição brasileira no Fantaspoa, estreou mundialmente no prestigiado Festival de Moscou e foi aclamado por público e crítica, sendo apontado como um dos melhores filmes de horror de 2017 e colecionando elogios de publicações como The Hollywood News e Screen Daily.

Sempre buscando valorizar obras da América Latina, a curadoria, realizada por João Fleck e Nicolas Tonsho, selecionou obras de impacto que passeiam por diversos gêneros. O Chile é representado por O Habitante, de Guillermo Amoedo, que estreou no Festival de Sitges e lida com temas escabrosos, como incesto, abusos, eutanásia e corrupção; e por Trauma, de Lucio A. Rojas, elogiada obra repleta de violência gráfica e que é apontada como a mais chocante desde o censurado A Serbian Film.

País com relevante produção fílmica de gênero, a Argentina marca presença com Aterrados, de Demián Rugna, um dos filmes de terror mais incensados pela crítica de seu país nos últimos anos; Madraza, de Hernan Aguilar, exibido e premiado no Festival de Sitges e que conta a história de uma dona de casa que se torna assassina de aluguel; e Luciferina” de Gonzalo Calzada, recém-exibido no festival BIFFF, em Bruxelas, sobre uma noviça com o poder de ver a aura das pessoas.

Do Uruguai, que não tem muita tradição na produção de filmes de gênero, será apresentado o hilário Festa Nibiru, de Manuel Facal, exibido no Festival de Sitges. Já da Espanha serão exibidos títulos como Framed, de Marc Martínez Jordán; Matar a Deus, da dupla Albert Pintó e Caye Casas; e Errementari, de Paul Urkijo Alijo. Framed é a e aguardada estreia do premiadíssimo realizador Jordán na direção de um longa-metragem, Matar a Deus foi considerado pelo público o melhor filme no Festival de Sitges e Errementari é uma fantasia obscura produzida pelo célebre cineasta Álex de la Iglesia.

Esta edição será marcada pelo maior número de títulos japoneses em exibição no certame do festival.“Argila Vampira, de Sôichi Umezawa, traz o terror na forma de uma argila possuída e assassina; Funôhan, de Kôji Shiraishi, é um thriller sobre um assassino que manipula as mentes das pessoas; o sombrio Sanî/32, dirigido por Kazuya Shiraishi, trata de uma criança assassina; Plano-Sequência dos Mortos, de Shin'ichirô Ueda, é uma irreverente comédia que brinca com o gênero fantástico; e a fantasia com robôs gigantes BraveStorm, assinada por Jun'ya Okabe, mostra uma família que viaja no tempo e constrói robôs gigantes para enfrentar alienígenas.

Da Alemanha, Adolfo Kolmerer e William James assinam o tarantinesco Floco de Neve, que mostra uma Berlim anárquica do futuro; Tilman Singer dirige Luz, atmosférico filme rodado em 16mm e exibido na Berlinale; Lukas Feigelfeld conta uma sombria história envolvendo bruxas e lendas pagãs em Hagazussa; e Ken Duken apresenta o thriller Berlin Falling, sobre um homem – interpretado por Tom Wlaschiha, o misterioso homem sem rosto da série Game of Thrones, que estará presente no Fantaspoa – que planeja realizar um atentado terrorista na capital alemã.

 

14º Fantaspoa

De 17 de maio a 3 de junho

Exibições:

Cinemateca Capitólio – Rua Demétrio Ribeiro, 1085. Centro Histórico

Sala Redenção – Av. Paulo Gama, 110, Campus Centro UFRS. Centro Histórico

Ingressos:

As sessões da Sala Redenção – Cinema Universitário do festival são gratuitas e a entrada é liberada 30 minutos antes do início das sessões.

Os ingressos para as sessões da Cinemateca Capitólio têm valor promocional único de R$ 10 – exceto o Madrugadão Fantaspoa, que custará R$ 40.
 

Cursos (em breve será enviada a programação):

Centro Cultural Erico Verissimo – Rua dos Andradas, 1233. Centro Histórico

Santander Cultural – Av. Sete de Setembro 1028. Centro Histórico