Foto: Divulgação

11

MAI
HORÁRIOS Sexta
20h

Clássico do horror japonês na Cinemateca Capitólio

Projetos Raros apresenta "Matango, a Ilha da Morte" nesta sexta-feira (11/5), às 20h. Após a sessão, rola um debate sobre a obra do direor Ishirō Honda

Nesta sexta (11/5), às 20h, na Cinemateca Capitólio, o Projeto Raros apresenta Matango, a Ilha da Morte (1963, 89min), um clássico do cinema de horror japonês dirigido por Ishirō Honda. O realizador foi o diretor e a mente por trás do clássico filme do Godzilla (1954), dentre outras produções de ficção científica japonesas que fizeram sucesso no Ocidente.

Após a sessão, acontecerá um debate com os pesquiesadores Carlos Thomaz Albornoz e Marcelo Severo. A sessão, com exibição digital e legenda em português, tem entrada franca.

 

Matango, a Ilha da Morte (Matango, 1963, 89 min)

De Ishiro Honda. Na trama, um grupo de sete jovens em um iate à deriva acaba desembarcando em uma ilha deserta. Na luta pela sobrevivência, acabam entrando em conflito uns com os outros. Ao mesmo tempo, surgem estranhas alterações de comportamento quando consomem os cogumelos da região, que parecem esconder um mistério ainda maior.

Inspirado no conto Uma Voz na Noite, do escritor inglês William Hope Hodgson, o filme quase teve seu lançamento proibido no Japão por conta da similaridade entre a maquiagem dos atores e os rostos desfigurados reais dos sobreviventes dos bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki. Produzido pela lendária companhia Toho, Matango é um dos filmes mais singulares do grande mestre do kaiju eiga (o subgênero dos filmes de monstro do Japão). Ishirō Honda foi diretor de Godzilla, Mothra, King Kong vs. Godzilla, Ghidrah O Monstro Tricéfalo, entre outros.

Sexta, 20h

Cinemateca Capitólio (Rua Demétrio Ribeiro, 1085)

Entrada franca