Matinal assinantes

Clarice Herzog. Foto: Ocupação Vladimir Herzog/Itaú Cultural/Divulgação

Acervo Vladimir Herzog ganha versão virtual

Nesta sexta-feira (26/6), com apoio do Itaú Cultural, o Instituto Vladimir Herzog lança a versão virtual do acervo, comemorando o 83º aniversário de vida de Vlado

VER GALERIA

O Instituto Vladimir Herzog (IVH) lança a versão virtual do Acervo Vladimir Herzog nesta sexta (26/6). De fotografias a correspondências, são mais de 1700 itens digitalizados sobre a trajetória profissional e pessoal do jornalista e intelectual. O projeto preenche uma lacuna histórica, disponibilizando à sociedade também a vida e a obra de Vladimir Herzog, para além de seu trágico assassinato por agentes da ditadura militar em outubro de 1975.

O lançamento, que acontece como comemoração ao 83º aniversário de vida de Vlado, será marcado por uma live, às 19h, nas redes sociais do IVH com a participação de Rogério Sottili (diretor executivo do Instituto), Ivo Herzog (presidente do Conselho do Instituto e filho de Vladimir Herzog), Luis Ludmer (coordenador técnico do Acervo Vladimir Herzog) e Bianca Santana (jornalista e escritora).

O projeto é uma iniciativa do Instituto Vladimir Herzog, com apoio do Itaú Cultural, para a organização da memória de Vlado. O resultado anterior da parceria foi a Ocupação Vladimir Herzog, mostra exibida no Itaú Cultural com público total de 98,5 mil pessoas, recorde de visitantes no ano de 2019. O material está disponível no site.

O Acervo Vladimir Herzog disponibiliza tanto a documentação pessoal preservada por mais de quatro décadas por esforço da família, quanto outros materiais (alguns inéditos) mapeados por pesquisadores em mais de 20 instituições e acervos públicos e privados, digitalizados e licenciados para uso no acervo. Entre os itens disponíveis, estão mais de mil fotografias, muitas delas registradas pelo próprio Vladimir Herzog como pesquisa documental para roteiros e reportagens; 78 matérias jornalísticas que escreveu e/ou editou ao longo da carreira; 131 periódicos da Revista Visão, da qual Vlado foi editor, incluindo a antológica matéria de capa sobre a crise da cultura brasileira publicada em 1971; mais de 60 cartas escritas e/ou endereçadas a ele; uma série inédita em parceria com o Museu da Pessoa com 12 depoimentos de familiares e amigos do jornalista, entre eles a viúva Clarice Herzog, o cineasta João Batista de Andrade e o arquiteto Ruy Ohtake.

O Acervo apresenta aspectos ainda pouco conhecidos de Vladimir Herzog como um intelectual de talentos múltiplos. Além de jornalista, Vlado esteve envolvido com o cinema, o teatro, a fotografia. Foi um dos grandes intérpretes do Brasil de seu tempo. Além de reiterarmos nosso compromisso com sua memória e de toda sua luta por democracia, lançarmos o Acervo neste momento é também um gesto simbólico de enfrentamento ao revisionismo histórico e de negação dos horrores promovidos pela ditadura militar no Brasil. Queremos falar do que Vlado produziu em vida, de suas críticas sociais infelizmente ainda atuais, de sua defesa da educação pública. Essa ação faz parte de um projeto maior do Instituto que é promover a Memória, a Verdade e a Justiça - para que possamos conhecer nosso passado e assim romper com os ciclos de violência que se perpetuaram em nossa história   afirma Rogério Sottili, diretor executivo do IVH.

Após dois anos de pesquisa, todos os itens foram organizados e apresentados de forma didática, agrupados por tipos de documentos ou atividades exercidas por Herzog, no site www.acervovladimirherzog.org.br. O acervo segue o rigor arquivístico, fazendo uso de descritores bibliográficos, taxonomia, dados contextuais e textos que amparam o usuário na navegação e na consulta.