Matinal assinantes

Foto: Figura de Linguagem/Divulgação

Figura de Linguagem comemora dois anos de atividades com dez lançamentos

Entre os destaques da editora está a obra "Somente nossos corações vão debater bravamente", da poeta norte-americana June Jordan, inédita no Brasil

Em meio à pandemia de coronavírus, a editora Figura de Linguagem mantém seu calendário de lançamentos. Em meio à profunda crise do mercado editorial brasileiro, a casa editorial sediada em Porto Alegre confirma os mais de trinta títulos previstos para esse ano. Em virtude da quarentena imposta pela pandemia de Covid-19, os lançamentos serão celebrados na rede e as obras serão disponibilizadas via e-commerce até que as normas de segurança permitam a retomada das atividades regulares de centros culturais e livrarias. No portal é possível consultar as obras que estão em pré-venda e todo o catálogo.

Entre os lançamentos de junho, o destaque é a poeta norte-americana June Jordan, que tem seu primeiro livro lançado no Brasil: Somente Nossos Corações vão Debater Bravamente. A tradução é de Fernanda Bastos e a seleção de Christoph Keller. Poeta e jornalista, June Jordan (1936 – 2002) notabilizou-se por abordar com organicidade aspectos políticos em narrativas poéticas sobre o cotidiano. Ativista na defesa dos direitos civis da população negra e LGBT+, além de pacifista, ela construiu versos que desafiam a naturalização de políticas intervencionistas, colonialistas, racistas e machistas na sociedade contemporânea.

A cubana Teresa Cárdenas lança seu primeiro livro de poesia, Memória de Mim, com tradução de Liliam Ramos. A obra apresenta a excelência estética que essa multiartista já demonstrou em seu trabalho na prosa.

Ainda serão lançados em junho: Pregão de Marimorena, de Virginia Brindis de Salas com tradução de Eliane Marques; O fim do cânone (e nós com isso), de Luís Augusto Fischer; Eu vou piorar, de Fernanda Bastos; O leitor desobediente, de Ronald Augusto; Mugido, de Marília Floôr Kosby; Pão, texto e água: retrato da literatura quando negra, de Roberta Flores Pedroso; A miséria do cotidiano: energias utópicas em um espaço urbano moderno, de Juremir Machado da Silva e A Manipulação das Ostras, de Luiz Mauricio Azevedo.