Matinal assinantes

Revista do Observatório aborda relação entre cultura e desenvolvimento

A edição 27 reúne artigos sobre a inclusão da cultura na agenda política de desenvolvimento, tendo como ponto de partida a Agenda 2030, estabelecida em 2015 pela ONU

O Itaú Cultural disponibilizou em seu site a edição número 27 da Revista do Observatório, que tem como tema Cultura e Desenvolvimento. Para tanto, reúne artigos e entrevistas com gestores culturais de diferentes países para analisar por que, apesar de estes dois conceitos serem amplamente relacionados no campo da gestão e das políticas culturais, não há uma inclusão efetiva da cultura na agenda política do desenvolvimento.

A Revista 27 propõe uma reflexão sobre como a cultura pode ser capaz de influenciar de forma relevante a Agenda 2030 – conjunto de objetivos e metas criado em 2015, em encontro na sede da ONU, e que integram um plano de ação para erradicar a pobreza e proteger o planeta. O olhar para esta reflexão também se volta aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a partir de uma perspectiva cultural, e à definição de estratégias para uma maior incorporação da cultura no objetivo global do desenvolvimento sustentável.

Entre os artigos desta edição está o de Paula Moreno, ex-ministra da Cultura da Colômbia e primeira mulher afro-colombiana a ocupar um cargo ministerial, que aborda a relação entre cultura e desenvolvimento com uma análise sobre os sistemas de inclusão e exclusão que perpetuam as desigualdades estruturais na sociedade. Com diversos reconhecimentos em sua trajetória – entre eles, como uma das 100 líderes afrodescendentes mais influentes, pelas Nações Unidas –, fundou, em 2010, a Corporación Manos Visibles, organização que empodera líderes e organizações de comunidades excluídas, particularmente afrodescendentes, a fim de mudar as relações de poder.

A publicação traz também, entre outros, entrevista do chileno Ernesto Ottone Ramírez a Alfons Martinell. O entrevistador é professor emérito da Universidade de Girona e, em parceria com o professor brasileiro titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) Teixeira Coelho, ministra o curso de Especialização em Gestão e Políticas Culturais (CEGPC), oferecido pelo Observatório do Itaú Cultural desde 2009. O entrevistado é diretor-geral assistente para a cultura da Unesco, cuja experiência como ministro da Cultura, das Artes e do Patrimônio do Chile o credencia com expertise em gestões culturais.

Na conversa com Martinell, Ramírez lança um olhar sobre a evolução da América Latina nas últimas décadas. Destaca, entre outras ações, a abrangência dos planos nacionais de leitura realizados na região, que poderiam ser trabalhados e adaptados para outras partes do mundo. Para o chileno, ainda, o desenvolvimento de um país é um diálogo constante entre manter a salvaguarda da identidade cultural, do papel das comunidades, do respeito às sociedades indígenas e não ser um freio a tudo isso em nome desse mesmo desenvolvimento. O desafio, segundo ele, é encontrar o caminho para intervir na Agenda 2030 de modo a potencializar a cultura, atualmente colocada como subtexto.