Matinal assinantes

Em Porto Alegre, a gripe chegou a bordo do navio Itaquera, em 14 de outubro de 1918, e trouxe pânico aos cerca de 170 mil habitantes. Foto: Arquivo

30

OUT

30

SET
HORÁRIOS terça a sexta
das 10h às 18h
sábados e feriados
das 14h às 18h

Exposição do MUHM aborda a gripe espanhola

"Gripe Espanhola: A Marcha da Epidemia" mostra a trajetória de uma das doenças mais avassaladoras da história, que matou 1.316 pessoas em Porto Alegre

VER GALERIA

Há cem anos, uma das epidemias mais avassaladoras da história se espalhou pelo mundo, ignorando fronteiras e os esforços das autoridades para controlá-la. Conhecida como gripe espanhola, a doença infectou nada menos do que 600 milhões de pessoas e deixou 40 milhões de mortos.

A exposição Gripe Espanhola: A Marcha da Epidemia apresenta a trajetória da doença, mostrando seus reflexos não apenas no contexto mundial, mas também como ela alterou a rotina dos moradores de Porto Alegre, onde 1.316 pessoas morreram. Por meio da recuperação de informações publicadas na imprensa da época, de documentos oficiais e de imagens históricas é possível recontar um pouco do impacto da gripe espanhola pelo mundo.

A epidemia eclodiu em um momento em que a Europa encontrava-se devastada pela I Guerra Mundial. O movimento das tropas facilitou a disseminação do vírus, bem como a carência de recursos médicos da época e a censura imposta pelas autoridades à sua divulgação.

A exposição retrata ainda a trajetória dos médicos porto-alegrenses que atuavam na linha de frente do combate à doença. Muitos, inclusive, foram vitimados por ela.

terça a sexta, das 10h às 18h, sábados e feriados, das 14h às 18h

Museu da História de Medicina (MUHM) (Av. Independência, 270 – Centro – Porto Alegre)

Entrada franca

Mais Informações