Sigma Cinema apresenta "Vila Flores – Território e Memória"

A sessão debate do documentário acontece nesta quinta-feira (5/12), às 19h, na Sala Redenção, com entrada franca

Nesta quinta (5/12), às 19h, acontece a sessão debate do documentário Vila Flores – Território e Memória, na Sala Redenção, com entrada franca.

Após a sessão partcipam do debate Bia Kern, formada em gestão pública e fundadora da ONG Mulher em Construção é uma das empreendedoras sociais alumni da Womanity Foundation; Cibele Vieira Figueira, doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Politécnica da Catalunha; e Antonia Wallig, gestora cultural e co-fundadora do Vila Flores.

Com direção de Marcelo Monteiro, Juliano Ambrosini e Nando Rossa, o documentário apresenta a história do centro cultural e educacional e núcleo de práticas criativas e colaborativas Vila Flores, localizado no bairro Floresta, em Porto Alegre. O conjunto, construído entre os anos 1925 e 1928 pelo engenheiro-arquiteto José Franz Seraph Lutzenberger, é um complexo arquitetônico formado por três edificações e um pátio em um terreno de 1.415 metros quadrados.

As edificações estão listadas no Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis do Bairro Floresta, classificadas como imóveis de Estruturação e situadas em Área de Interesse Cultural de Porto Alegre.

Atualmente, o espaço abriga diversas funções: local para a realização de atividades socioculturais – coordenadas pela Associação Cultural Vila Flores –, espaço de trabalho de dezenas de artistas e empreendedores criativos (os residentes) e ambiente de aprendizado. O projeto arquitetônico, elaborado pela Goma Oficina, ainda prevê, futuramente, apartamentos para moradia temporária, loja, cafeteria e memorial.

Esta sessão é uma realização da Sigma Cinema, em parceria com a Sala Redenção Cinema Universitário.

Quinta 19h

Sala Redenção (Avenida Paulo Gama, 110)

Entrada franca