Foto: Ronald Mendes/Divulgação

Mais de 15 mil pessoas no 5º Santa Maria Sesc Circo

Festival contou com 36 apresentações gratuitas em diferentes pontos da cidade, com grupos gaúchos e de outros estados

5ª edição do Santa Maria Sesc Circo chega ao fim após seis dias de muita cultura e alegria. Mais de 15 mil pessoas foram contagiadas com a magia do circo entre os dias 26 de novembro e 1º de dezembro, quando foram realizados 19 espetáculos em 36 sessões gratuitas com grupos gaúchos e de outros estados, como São Paulo e Minas Gerais. A Gare da Estação Férrea de Santa Maria esteve movimentada com a lona montada para receber as apresentações. A cidade ainda pôde vivenciar o festival em diferentes pontos como no Centro de Atividades Múltiplas Garibaldi Pogetti (Bombril), Hospital Universitário de Santa Maria, Theatro Treze de Maio e o deck do Mercado Público. 

Para a coordenadora de Artes Cênicas e Visuais do Sesc/RS, Jane Schoninger, um dos grandes ganhos desta edição foi a ampliação do Santa Maria Sesc Circo nas escolas, incluindo comunidades rurais e indígenas.

– As ações culturais do Sesc buscam formar plateias que apreciem diferentes tipos de cultura e foi um passo importante levar os espetáculos para esses lugares. Foi um encontro muito potente entre as comunidades e o trabalho circense – afirma. 

O festival foi encerrado em grande estilo pelo Grupo Trampulim, de Minas Gerais, com um espetáculo envolvente, bem-humorado e musical. O domingo também contou com uma intervenção dos santa-marienses da Ilógica Cia. no Calçadão Salvador Isaia e com o Pão com Ovo, do Circo Teatro Girassol. 

A semana foi de diversidade entre as apresentações, neste ano mais focadas na palhaçaria, apesar de também mostrarem técnicas de malabarismo, aéreos, acrobacias e, pela primeira vez, mágica. 

– Foram mostradas ao público diferentes propostas que encontramos no Brasil e isso enriquece tanto os artistas, com a troca de vivências, quanto o público, com as novas descobertas. O circo é uma arte popular e o festival proporciona que a população viva essa experiência, a magia do circo e o que está no imaginário de cada um – conta Jane. 

A arte circense foi apresentada pelos artistas e grupos gaúchos Jânio Nunes, Heinz Limaverde, Cia. Re Tri Circo, Teatro por que não?, Ilógica Cia., Esquadrão da Alegria, Cia. Circense Burzum, Circo Híbrido, Circo Teatro Girassol, além do mineiro Grupo Trampulim e dos paulistas Cia. Irmãos Sabatino, Trupe da Lona Preta, Cia Suno, Ricardo Malerbi, Circo di SóLadies, Trupe Irmãos Atada, Grupo Trampulim.

O Sesc Dramaturgias, projeto que explora as diferentes linguagens das artes, também foi integrado à programação do Santa Maria Sesc Circo.

O diretor carioca Renato Rocha, um dos nomes mais conhecidos nacional e internacionalmente do meio, esteve na cidade para realizar uma residência com artistas locais. A atividade foi encerrada com uma intervenção na Gare da Estação Férrea que encantou o público. Com o objetivo de debater o circo no estado, a Associação de Circo do RS realizou três rodas de conversas com artistas e com a comunidade.