Foto: Pino Gomes/Divulgação

07

DEZ

08

DEZ
HORÁRIOS Sab 21h
Dom 18h

"Parabéns Senhor Presidente" em curta temporada no Theatro São Pedro

Com Danielle Winits e Christine Fernandes, o espetáculo que narra o encontro de Maria Callas e Marilyn Monroe nos bastidores da festa do presidente Kennedy tem sessões nos dias 7 e 8 de dezembro

A comemoração do 45º aniversário de John Kennedy, no dia 19 de maio de 1962, ficou marcada na vida de duas grandes divas: Marilyn Monroe, que cantou um Happy Birthday tão sexy quanto histórico, e Maria Callas, ovacionada minutos antes, ao cantar a Habanera, da ópera Carmen, sem imaginar que a aproximação em relação à família Kennedy levaria, anos mais tarde, ao fim de seu romance com Aristóteles Onassis. Nessa histórica noite, Callas e Monroe se encontraram nos bastidores do Madison Square Garden.

Essa conversa é o ponto de partida de Parabéns Senhor Presidente, espetáculo com texto de Fernando Duarte e Rita Elmôr, com direção de Fernando Philbert, que faz curtíssima temporada no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, nos dias 7 e 8 de dezembro, com sessões no sábado, às 21h, e no domingo, às 18h.

Os ingressos podem ser adquiridos online ou na bilheteria do teatro.

Protagonizado por Danielle Winits e Christine Fernandes, o espetáculo transporta a plateia para o ano de 1962. Quem nunca viu a cena clássica de Marilyn Monroe cantando Happy Birthday Mr. President? A loira fez a versão de Parabéns pra Você, entrar para a história ao cantar para Kennedy, chocando a sociedade da época. Antes de ela subir ao palco, com seu vestido de sereia rosa chá e fazer a performance que entrou para a mitologia dos anos 1960, grandes artistas se apresentaram, entre eles, Maria Callas, a atração mais aplaudida da noite.
 
Depois de ter cantado Habanera, de Carmen, Callas se viu repentinamente diante de Marilyn, que, com os olhos marejados, abraçou a cantora e disse: “Somente uma pessoa que conheceu o amor verdadeiro consegue cantar como a senhora. Mas vejo tanta tristeza no seu olhar". Callas, orgulhosa e vaidosa como era, não gostou do comentário e disparou: “Se a senhorita pensa que pode falar tudo o que lhe vier à cabeça apenas por ser Marilyn Monroe, está enganada".
 
Depois de assistir à apresentação da atriz, Callas ficou comovida e no dia seguinte enviou uma orquídea para Marilyn, o cartão dizia: “A senhorita é uma boa alma, eu não soube compreende-la, peço que me perdoe."

Dividindo o mesmo espaço por uma hora, as duas mulheres mais famosas do mundo, conversam sobre o universo particular de cada uma, sem imaginar que Marilyn, iria falecer dois meses depois. Ambas falam de suas inquietações com seus relacionamentos, suas aparências e suas competências para exercer suas profissões, entre outras coisas.

O espetáculo explora, graças ao duelo verbal entre as duas, o drama feminino dos tempos recentes, a divisão entre afeto e realização, o conflito diante do papel a desempenhar em um mundo ainda regido pelos homens. A partir da diferença inicial entre os dois perfis – a intelectual e a sensual – o espetáculo desnuda, com humor, ironia e deliciosas sutilezas de raciocínio, o drama único que envolve muitas mulheres em nosso tempo.

Sab 21h, Dom 18h

Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, s/nº – Centro Histórico)

Diversos valores