Foto: Sabrina Moura/Divulgação

30

NOV

26

JAN
HORÁRIOS Ter a sex das 10h às 19h
Sab das 10h às 20h
Dom das 10h às 18h

Fundação Ecarta recebe exposição de Sasha Huber

Neste sábado (30/11), às 11h, acontece a abertura da exposição "Nomear para lembrar: um olhar sobre performance e as possibilidades da narrativa histórica", na Galeria Ecarta

VER GALERIA

Neste sábado (30/11), às 11h, acontece a abertura da exposição Nomear para lembrar: um olhar sobre performance e as possibilidades da narrativa histórica, da artista suíço-haitiana Sasha Huber, na Galeria Ecarta, com curadoria de Sabrina Moura.

No ano passado, a artista conquistou o prêmio State Art na categoria Artes Visuais, concedido pelo Arts Promotion Centre Finland. Em Porto Alegre o projeto expositivo traz uma seleção de vídeos da mostra Nome Próprio, apresentada, em julho, no Rio de Janeiro, com o apoio do programa Coincidência, da Fundação Suíça Pro Helvetia.

Além disso, o trabalho de Sasha dialoga com o tema central do colóquio Apagamentos da memória na arte, que ocorre no Centro Cultural da Ufrgs, por meio de três obras: Louis Who? (2010), Rentyhorn (2007) e Karakia (2015). Em conjunto, elas discutem o papel da imagem e das políticas da memória no processo de construção das narrativas históricas.

Sasha Huber é sensível aos fios que ligam a história e o presente, preocupa-se com as políticas de memória e de pertencimento e emprega materiais de arquivo. Realizou exposições na Fundação Hasselblad, em Gotemburgo (Suécia), na 56ª Bienal de Veneza, em 2015, na 19ª Bienal de Sydney, em 2014, e 29ª Bienal de São Paulo, em 2010. Atualmente está no doutorado da Zurich University of the Arts. Trabalha também em parceria com o artista Petri Saarikko. Juntos iniciaram o projeto Remedies (2011) que explora métodos de autoajuda e cura médica em diferentes contextos geográficos e culturais. Editou o livro Rentyhorn (2010) e foi co-editora (com Maria Helena Machado) do livro Rastros e raças de Louis Agassiz: Fotografia, Corpo e Ciência, Ontem e Hoje (2010), publicado na 29ª Bienal de São Paulo.

A mostra permanece aberta para visitação do público até 26 de janeiro, com entrada franca.

Ter a sex das 10h às 19h, Sab das 10h às 20h, Dom das 10h às 18h

Fundação Ecarta (Avenida João Pessoa, 943)

Entrada franca