O Cine Esquema Novo 2019 – Arte Audiovisual Brasileira vai rolar no fim do mês

O evento ocorre de 21 a 27 de novembro, com atividades na Cinemateca Capitólio, Goethe-Institut Porto Alegre, Hub Criativa Birô, Laboratório de Fotografia IA/UFRGS e Teatro Quilombo

O Cine Esquema Novo 2019 – Arte Audiovisual Brasileira ocorre entre os dias 21 e 27 de novembro, com atividades na Cinemateca Capitólio, Goethe-Institut Porto Alegre, Hub Criativa Birô, Laboratório de Fotografia IA/UFRGS e Teatro Quilombo das Artes Utopia e Luta. São quatro mostras, rodadas de negócios, duas oficinas e seminário que integram a programação do evento, que em 2019 chega a sua 13ª edição.

A Mostra Competitiva Brasil abre sua programação às 18h30min com os filmes Thinya, de Lia Letícia, Sem Título # 5: A Rotina Terá Seu Enquanto, de Carlos Adriano,  e uma performance inédita do Duo Strangloscope, Aymberê, que integra uma trilogia iniciada em Carcará, apresentada em 2018 em mostra assinada pela dupla catarinense. A obra é realizada através de multiprojetores analógicos com acompanhamento de som digital ao vivo que reúne materiais de filmes alterados, pintados, riscados com a temática dos povos originários contra as injustiças sociais que nos acometem desde os tempos do "descobrimento" do Brasil até hoje.

A Mostra Competitiva Brasil apresenta 33 obras, 28 delas exibidas em sala de cinema, uma performance na Cinemateca Capitólio e quatro videoinstalações expostas no Goethe-Institut Porto Alegre, correalizador do CEN 2019. Temáticas como feminismo, empoderamento e representatividade negra, política atual, colonialismo, questões indígenas, pertencimento, memória, imigração, identidade queer, acessibilidade, entre outras, pautam os títulos selecionados de dez Estados brasileiros e quatro produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução internacional). A Mostra Competitiva Brasil premiará ao final do evento o Grande Prêmio Cine Esquema Novo 2019, com um troféu assinado por Luiz Roque, criado especialmente para o CEN, além de prêmios em serviços da Locall, KF Studios, TECNA/PUCRS e Fluxo - Escola de Fotografia e Cinema. O júri deste ano é composto pela realizadora Camila Leichter, a crítica de arte e curadora Gabriela Motta e o ator e diretor Silvero Pereira.

Enquanto estamos aqui, de Clarissa Campolina e Luiz Pretti, trata sobre dois imigrantes em Nova York, em uma narrativa híbrida construída por uma abordagem poética através de um diário de viagem que nos leva à essência da micropolítica humana em tempos de globalização: um reino incerto de desejo, esperança e medos. Com Grace Passô, Marcelo Souza e Silva e Mary Ghattas no elenco, a produção estreou no Festival de Rotterdam deste ano. O curta Caçador, de Leonardo Sette, também integra a lista, trazendo seu trabalho com a temática indígena para a seleção do CEN.

Jonathas de Andrade e Felipe Bragança (em parceria com Catarina Wallenstein) que já tiveram obras exibidas em outras edições do festival, também participam desta edição do evento, com Jogos Dirigidos e Tragam-me a cabeça de Carmen M.

Destaque também para Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta e Intervenção Jah do ator e performer natural de Guiné-Bissau Welket Bungué, que apresenta uma discussão sobre a violência institucionalizada no Brasil. Único realizador do RS a integrar a Mostra Competitiva Brasil, Rodrigo John apresenta Mirante, filme produzido ao longo de dez anos da vista de seu apartamento do 17º andar de um prédio no Centro Histórico de Porto Alegre. O público poderá conferir dois filmes com sessões acessíveis na Cinemateca Capitólio Petrobras: no dia 23 de novembro, às 14h, será exibido o longa Raia 4 e no dia 27, às 14h, Mirante.

No final de semana, nos dias 23 e 24 de novembro, o Goethe-Institut Porto Alegre recebe a segunda edição da Mostra Audiovisual em Curso que conta com a curadoria de 19 alunos de sete cursos de realização audiovisual, artes visuais, comunicação e animação de cinco instituições do RS: Crav/Unisinos, Teccine/PUCRS, Fabico e Instituto de Artes/UFRGS, Audiovisual e Animação/UFPEL e Audiovisual/Uniritter. A mostra reunirá 38 obras selecionadas pelos alunos-curadores. Além da exibição, a mostra terá debates entre os curadores e os realizadores dos filmes selecionados. A novidade em 2019 é que a mostra torna-se competitiva e conta com o voto do público, que escolherá não o seu filme preferido, mas a melhor sessão, valorizando assim o processo curatorial dos alunos. A Fluxo Escola de Fotografia e Cinema concederá prêmios ao grupo de curadores escolhidos pelo Júri Popular.

Entre os dias 21 e 24 de novembro, ocorre no Goethe-Institut Porto Alegre a segunda edição do Seminário Pensar a Imagem. Com curadoria e produção da pesquisadora e professora universitária Gabriela Almeida, o seminário tem como objetivo abordar especificidades teóricas, técnicas, conceituais, narrativas e de circulação associadas à produção autoral e experimental de imagens no século 21. Serão realizadas quatro mesas que têm como tema transversal as implicações entre estética e política no cinema contemporâneo e nas artes.

O Seminário reunirá oito convidados brasileiros e estrangeiros, entre os quais o programador da Cinemateca Francesa Bernard Payen; a gerente de projetos do arsenal distribution (Alemanha), Angelina Ramlow; o ator, dramaturgo e diretor Silvero Pereira (filme Bacurau e da peça BR-Trans); a curadora no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) Izis Abreu e o produtor e programador Paulo de Carvalho, brasileiro radicado em Berlim, sócio da Autentika Films Berlim e curador do Cinelatino para a Alemanha. O Seminário foi criado a partir de uma livre associação com o Think:Film International Experimental Cinema Congress, parte do Festival de Cinema de Berlim e organizado pelo Arsenal Institut für Film und Videokunst. As inscrições dever ser feitas online, com valores para cada dia da atividade ou pacote dos quatro dias -

Outra novidade deste ano são as Rodadas de Negócios do festival, que estão com as inscrições abertas até 12 de novembro pelo site do Cine Esquema Novo. As rodadas ocorrem entre os dias 25 e 26 de novembro, com players do Brasil e da Alemanha. A atividade busca projetos audiovisuais autorais de longa-metragem de ficção, documentário, animação e experimental, além de longas-metragens finalizados ou em finalização. O evento conta com Apoio Institucional do RS Criativo e Governo do Estado do RS, que sediará a programação, prevista para ocorrer na sala Sérgio Napp na Casa de Cultura Mario Quintana, Ministério das Relações Exteriores e apoio da Associação Profissional de Técnicos Cinematográficos do RS - APTC/RS. Participam das rodadas, em busca de projetos e filmes, Angelika Ramlow, gerente de projetos do Arsenal Distribution, Argel Medeiros, sócio/diretor da Olhar Distribuição, Letícia Friedrich, sócia da produtora e distribuidora Boulevard Filmes e Paulo de Carvalho, sócio da Autentika Films Berlim e programador e diretor artístico do Festival CINELATINO na Alemanha.

Duas oficinas integram a programação do evento: Câmera Causa - Realização Audiovisual para grupos em vulnerabilidade social, ministrada por Gustavo Spolidoro e Lucas Heitor, que já está com as inscrições encerradas, e a Oficina Trabalhando artesanalmente com película 16mm, com Luciana Mazeto e Vinícius Lopes. A Oficina Câmera Causa é voltada para pessoas que são pertencentes ou atuam junto a projetos sociais e grupos em vulnerabilidade social, professores e alunos de escolas públicas e público em geral, proporcionando uma reflexão e prática da realização audiovisual a partir de seus próprios celulares.

Criada em 2018, com dez edições e oito palestras, a oficina gerou mais de 60 curtas divulgados nas redes sociais e tem como objetivo a criação de conteúdo que possa ser utilizado como divulgação do trabalho desses grupos, sua realidade e causas. Na segunda (25/11), às 14h, ocorre a mostra dos curtas produzidos durante a atividade na Cinemateca Capitólio Petrobras, com entrada franca.

Nos dias 25 e 26 de novembro, os realizadores Luciana Mazeto e Vinicius Lopes ministram a oficina Trabalhando artesanalmente com película 16mm no Laboratório de Fotografia do Instituto de Artes da UFRGS. A oficina abordará técnicas simples, manuais e experimentais para filmagem, revelação e copiagem de filme 16mm. Os realizadores Luciana Mazeto e Vinicius Lopes exploram a revelação de negativo preto e branco com o uso de cafenol, uma solução ecológica e acessível que produz belas imagens de alto contraste a partir de ingredientes facilmente encontrados. Em seguida, os participantes trabalharão com a copiagem desse negativo através da técnica de cianotipia em emulsão artesanal, aplicando a própria emulsão na película e gerando belas imagens positivas em tonalidades azuladas, prontas para a exibição. As inscrições devem ser feitas online

Os ingressos para as sessões das mostras Competitiva Brasil, Outros Esquemas e BASE-Líbano, na Cinemateca Capitólio Petrobras, custam R$ 10, com os descontos previstos de meia-entrada. No Goethe-Institut as obras expostas na galeria e as sessões da Mostra Audiovisual em Curso tem entrada franca.

Mais informações no site do evento.