Iphan realiza seminário internacional em Porto Alegre

O evento acontece de 23 a 25 de outubro, na Assembleia Legislativa, com inscrição gratuita

O Seminário Internacional sobre Potencial Econômico do Patrimônio em sua Dimensão Turística e o 6º Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial, realizados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e pela Organização das Cidades Brasileiras Patrimônio Mundial (OCBPM), com o apoio da Secretaria da Cultura (Sedac), acontece de 23 a 25 de outubro, na Assembleia Legislativa.
 
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas online. Todos os inscritos receberão e-mail com confirmação e orientações sobre o credenciamento, que será aberto às 16h30min do primeiro dia. Após às 17h45min, todas as vagas não credenciadas serão disponibilizadas para a lista de espera. O evento debaterá os usos do patrimônio cultural como vetor de desenvolvimento do turismo no Brasil.
 
Especialistas do Brasil e de outros países vão demonstrar como arquitetura, religião, artes, tradições e bens históricos compõem o chamado turismo cultural e podem ser um meio de fomento à sustentabilidade econômica e social. Os eventos fazem parte da campanha Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como Ativo para o Desenvolvimento das Cidades Históricas, que visa debater os desafios da intersecção entre turismo e patrimônio cultural. Em 2019, a campanha é voltada à região Sul do Brasil em suas mais variadas manifestações – considerando o potencial econômico e a preservação de seus bens culturais.
 
No roteiro dos eventos, bens culturais, como os imóveis que fazem parte da Rota Nacional da Imigração e conjuntos urbanos de cidades como Antonina (PR) e Pelotas (RS) poderão ser caminhos a firmar a cultura brasileira como incremento ao turismo e, também, à preservação do Patrimônio Cultural. Em 2019, o Seminário e o Encontro também estão inseridos na iniciativa do Governo Federal Patrimônio + Turismo, cujo objetivo é aliar turismo, cultura e desenvolvimento socioeconômico.
 
Desde o início do ano, o Governo Federal vem realizando ações no intuito de ampliar noções sobre o turismo no Brasil, dentre as quais a Política Nacional de Gestão Turística dos Sítios Patrimônio Mundial, que cria diretrizes para o turismo sustentável nos 22 sítios brasileiros reconhecidos pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), como o Parque Nacional do Iguaçu (PR) e as Ruínas de São Miguel das Missões (RS).
 
Os debates refletem o contexto das transformações em curso em âmbito internacional como aqueles que vêm se produzindo, por exemplo, em Portugal, Espanha, México, Colômbia e outros países latino-americanos. No caso brasileiro, Tradições Doceiras da Região de Pelotas e Antiga Pelotas – bem registrado no Livro de Saberes como Patrimônio Cultural do Brasil – passam a ser um dos objetivos do turista cultural, que busca aprender e descobrir manifestações, culturas alimentares, música e memórias. E nesse campo reside a ponte entre patrimônio cultural e desenvolvimento – base de cadeias turísticas a mobilizar comunidades, instituições públicas, organizações do terceiro setor e empresas.
 
Programação completa aqui.

Qua a sex a partir das 16h30min

Assembléia Legislativa (Praça Mal. Deodoro, 101)

Entrada franca

Mais Informações