Tunga no Cine Iberê

O documentário "Tunga, o Esquecimento das Paixões", de Miguel de Almeida, terá sessão comentada pela diretor neste domingo (13/10), às 16h, na Fundação Iberê Camargo

Neste domingo (13/10), o Cine Iberê realiza sessão comentada de Tunga, o Esquecimento das Paixões, com o diretor do documentário, Miguel de Almeida. Pernambucano radicado no Rio de Janeiro, Tunga (1952  2016) foi o primeiro artista contemporâneo do mundo a ter uma obra no Louvre, em Paris.

Sua obra é barroca, carregada de simbolismos e potência física, interessada em criar novas relações entre imagens recorrentes em 40 anos de trajetória: ossos, crânios, tranças, dedais, agulhas e bengalas gigantes, redes, dentes, recipientes de vidro, líquidos viscosos. Ele integrou a exposição coletiva A Infinita História das Coisas ou o Fim da Tragédia do Um, com curadoria da artista brasileira Sofia Borges, na Bienal de São Paulo de 2018.

A atuação poética e política de seu pai, o poeta e jornalista Gerardo de Mello Mourão, e a trajetória de criação e investigação do artista de diversas matizes criativas são os principais eixos narrativos do filme, que traz à luz as relações políticas com a arte a partir da década de 1970. O documentário é uma produção da Plateau Produções, com distribuição da Cup Filmes e conta com a participação de Miguel Rio Branco, Paulo Sergio Duarte, Cildo Meireles, Bernardo Paz, Murilo Salles, Fernando Sant’Anna, Arthur Omar, Cosmo Tomé da Silva, Leonardo, Gomes Guimarães e Zé Mario Pereira.

Tunga, o Esquecimento das Paixões é o segundo longa-metragem do jornalista, escritor, editor e documentarista Miguel de Almeida. Antes, realizou Não estávamos ali para fazer amigos (2015). Diretor artístico e apresentador das séries Sala de Cinema e Contraplano, do SESC TV, como jornalista atuou, entre outros, nos jornais Folha de São Paulo e O Globo. É autor de livros como Primavera nos Dentes – História dos Secos e Molhados, Trilha nos Trópicos, Blue Paixão, Flávio Shiró, Maria Bonomi, Emanoel Araújo e Tomie Ohtake. Atualmente é diretor da Editora Lazuli.

O filme integra o programa de cinema em diálogo com a exposição Itinerâncias da 33ª Bienal de São Paulo  Porto Alegre, e tem a curadoria de Marta Biavaschi.

Dom 16h

Fundação Iberê Camargo (Avenida Padre Cacique, 2000)

Entrada franca