“Paris: Olhares Alternativos” no Instituto SAMbA

Grafites de Paris e ícones da arte brasileira marcam um ano do Instituto com exposição em Caxias do Sul, de 10 de outubro a 12 de dezembro

VER GALERIA

O banal da paisagem urbana de uma grande cidade ganha foco e recortes ímpares em Paris: Olhares Alternativos. A exposição que o colecionador e artista Alexandre Frigeri, caxiense radicado no Rio de Janeiro, traz ao Instituto SAMbA, em Caxias do Sul, um registro pontuado por camadas de leituras de frestas imagéticas entre as ruas, os muros e as praças da capital francesa.

Através desses “olhares alternativos” o curador da mostra, Marco Antonio Portela, acredita que a exposição tem possibilidade de ver a “cidade desvelada dessa aura de sonho e fantasia que ela representa e nos traz uma Paris mais verdadeira, nua e crua”. Ou, reafirmando a potência desse recorte fotográfico, evidencia uma Cidade Luz em mutação contínua.

Eis, então, que a seleção de clics de Alexandre Frigeri encontra a arte urbana e o grafitti revelando que flanar pela cidade é descobrir galerias informais e referências para novos contextos visuais e estéticos. Algo que o arquiteto Fernando Machado aponta como uma deriva “no tecido urbano da cidade, evocando as infinitas possibilidades de escolhas”.

A exposição de fotografias servirá também para registrar um primeiro ano de atividades do SAMbA, que aproveita este encontro de olhares exibindo obras de grandes nomes da arte brasileira como Oscar Niemeyer, Burle Marx, Heitor dos Prazeres, Oswald Goeldi, Carybé e Dionisio Del Santo que foram doados por Frigeri ao acervo do Instituto.

A exposição abre para convidados nesta quinta (10/10), às 19h30min, seguindo até 12 de dezembro. Visitas públicas poderão ser agendadas no site do Instituto a partir do dia 11 de outubro. No mesmo dia da abertura, às 18h, o grupo Conhecendo Arte participa de um bate-papo sobre arte urbana com o arquiteto, urbanista e grafiteiro Maurício Rossini.

Instituto SAMbA (Rua Hércules Galló, 620 | Caxias do Sul)

Entrada franca