Laura Dutra. Foto: Marco Nedeff/Divulgação

09

OUT
HORÁRIOS Quarta 16h

Laura Dutra na Casa de Apoio Madre Ana

Nesta quarta-feira (9/10), às 16h, a autora de “Alexandra Virou Livro” participa de um bate-papo com Tânia Carvalho, na Biblioteca Jardim das Letras

VER GALERIA

Nesta quarta (9/10), às 16hLaura Dutra participa do encontro com escritores na Biblioteca Jardim das Letras da Casa de Acolhimento Madre Ana. Na ocasião, a jornalista Tania Carvalho conduz um bate-papo com a autora e o público. A canja musical fica por conta de Robson SerafiniO evento é aberto ao público.

Alexandra Virou Livro (Libretos, 144 páginas), de autoria de Laura Dutra, apresenta a história de aventuras sobre a vida-viagem de uma pessoa inesquecível. Alexandra foi uma menina curiosa e corajosa. Na infância teve poliomielite e aos poucos sua vida foi se reduzindo às paredes de seu quarto.

Porém, de que tamanho pode ser o mundo de uma pessoa criativa e inquieta? Alexandra multiplicou suas opções. Em livros, discos, filmes e uma longa rede de amigos.

Neste livro, Alexandra fala de si mesma e seus amigos contam, cada um, uma faceta diferente dessa “figurinha”. Questionadora, tal como uma Mafalda; criativa e resiliente, como uma Frida Khalo; ou tal como ela mesma, Alexandra, uma pessoa singular na sua sede de vida. Uma Dom Quixote de saias que lutou com tenacidade contra seus moinhos de vento, bem reais sua cama, sua imobilidade , e conseguiu superá-los com o intelecto, que não pode ser aprisionado.

Em suas pesquisas, a autora descobriu cadernos de anotações de Alexandra onde houve o registro sistemático de inúmeros livros e filmes a que ela teve acesso. Foram transcritas no livro diversas anotações desses cadernos, com dicas deliciosas de leituras e de filmes, quando se pode conhecer algo mais da personalidade da Alexandra, na medida em que, por vezes, as anotações se tornavam, também, diários.

Laura Dutra é formada em Ciências Sociais, trabalha no Tribunal de Justiça do Estado, mora em Porto Alegre. Escreve, às vezes, por pura necessidade de narrar histórias que a emocionaram ou para revelar pessoas inesquecíveis.

Quarta 16h

Casa de Apoio Madre Ana (Rua Vigário José Inácio, 741)

Entrada franca