Felipe Vaz apresenta música homeopática com trilha visual na Fundação Iberê Camargo

Performance do brasileiro radicado em Berlim acontece neste sábado (14/9), às 14h30min, em diálogo com a exposição "Antes da Palavra", de Daniel Senise. A entrada é gratuita

Neste sábado (14/9), o artista sonoro Felipe Vaz apresenta Música Homeopática com Trilha Visual Unidimensional, em diálogo com a exposição Antes da Palavra, de Daniel Senise. A performance acontece às 14h30min, na ante-sala do monta-cargas do 2º andar da Fundação Iberê. A entrada é franca.

O trabalho de Felipe consiste em uma instalação com ciclos de aproximadamente 25 minutos se repetindo a cada meia hora. Além de uma trilha electroacústica, a instalação usa fortes luzes RGB controladas por DMX projetadas sobre o público, para o qual serão distribuídas máscaras especiais produzidas pelo artista.

A parte visual remete ao efeito Ganzfeld das instalações de luz de James Turrell e o cinema absoluto de Tony Conrad em The Flicker, criando uma narrativa visual em que as noções de figura, fundo e profundidade são abolidas completamente, e na qual a mudança está restrita a variações de luz e cor. Devido à máscara, o público verá apenas um campo de cor uniforme e seu fluxo no tempo, de suaves mudanças na cor a intensos flashes de luz. Na trilha, uma massa de ruído rosa move-se lentamente, gerando oscilações mínimas e, gradualmente, revelando outros sons praticamente imperceptíveis.

Carioca radicado em Berlim (Alemanha), Felipe Vaz é artista sonoro, pesquisador e produtor de novas mídias. Seus trabalhos são baseados, principalmente, em processos temporais e questões conceituais relacionadas ao som e à música e já foram apresentados em galerias e shows, como Casa Encendida (Madri), Bienal da Caixa de Novos Artistas (várias cidades do Brasil), Mixtur e Arts Santa Mònica (Barcelona), La Maudite (Paris), Re: Flux (Novo Brunswick), Verbo / Galeria Vermelho (São Paulo), Caixa Cultural (Rio de Janeiro) e Fonoteca Nacional (Cidade do México). É pós-graduado em Arte Sonora pela Universidade de Barcelona e está terminando Mestrado em Estudos Sonoros na UdK Berlim.

Sábado 14h30min

Fundação Iberê Camargo (Avenida Padre Cacique, 2000)

Entrada franca