Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo chega a sua 30ª edição

Evento que acontece entre 22 de agosto e 1º de setembro faz homenagem à obra do diretor gaúcho Jorge Furtado, com os 30 anos de seu filme “Ilha das Flores”

VER GALERIA

Doze produções gaúchas participam do 30º Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo: Abraços, Aline, Kerexu, Princesa Morta do Jacuí, Ressureição e Terra do Sempre, além dos filmes que integram a retrospectiva do diretor Jorge FurtadoIlha das Flores, O Sanduíche, Velázquez e a Teoria Quântica da Gravidade, Ângelo Anda Sumido, Rummikub, Até a Vista e O Dia em que Dorival Encarou a Guarda. O evento, que acontece entre os dias 22 de agosto e 1º de setembro, acompanha a evolução tecnológica no audiovisual, da película à realidade virtual.

Assim como o Festival de Curtas, neste ano, Ilha das Flores (Jorge Furtado) completa três décadas. O filme foi um divisor de águas ao apresentar uma denúncia social de forma inovadora, antecipando a linguagem do hipertexto – que se tornaria a linguagem da internet logo depois. Celebrando o aniversário do curta, o programa especial Jorge Furtado, traz ele e outros seis trabalhos do diretor gaúcho, produzidos entre 1986 e 2011. As sessões acontecem nos dias 22 de agosto, às 18h30min, na Cinemateca Brasileira - sala Petrobras; no dia 23, às 17h, no Centro Cultural São Paulo; no dia 26, às 21h30, no CineSesc; e no dia 27, às 19h, no CINUSP. Jorge Furtado também comanda uma masterclass sobre narrativas e direção no dia 22 de agosto, às 20h, na Cinemateca Brasileira.

Entre os outros participantes do estado, Kerexu (Leonardo Remor e Denis Rodriguez) integra a programação da inédita Mostra Competitiva, criada para premiar produções nacionais. O espectador conhece o processo de produção da cerâmica tradicional no Sul do Brasil, da coleta da argila até a queima em forno e em fogo de chão. O filme será exibido no dia 23, às 21h, na Cinemateca Brasileira - sala BNDES; no dia 25, às 19h30, no CineSesc; e no dia 30, às 17h, no Centro Cultural São Paulo.

Princesa Morta do Jacuí (Marcela Ilha Bordin), selecionado para a Mostra Brasil, apresenta o arqueólogo Margot Moreira, que retorna ao lugar onde nasceu, a zona de exclusão chamada Depressão Central, onde o sol nunca para de brilhar. O curta tem sessões nos dias 24 de agosto, 15h, no Centro Cultural São Paulo; 26, às 17h, na Cinemateca Brasileira; e 27, às 21h, no CineSesc.

Celebrando 30 anos ininterruptos de realização, o Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo, dirigido por Zita Carvalhosa e organizado pela Associação Cultural Kinoforum, apresenta gratuitamente 324 filmes de 53 países, em diferentes salas de cinema da capital paulista.

Além das tradicionais Mostras Internacional, Latino-Americana e Programas Brasileiros, que revelam um panorama do cinema contemporâneo em todo o mundo, a edição estreia a Mostra Limite, com filmes brasileiros e estrangeiros que experimentam novas linguagens, os Programas Imersivos, com documentários de Tadeu Jungle em 360º para óculos VR, filmes franceses em 3D e games brasileiros de realidade virtual, e ainda sua primeira Mostra Competitiva, especialmente para títulos nacionais.

Os Programas Especiais reúnem atrações que já fazem parte do calendário do Festival, como a Mostra Infantojuvenil, além de diferentes destaques a cada edição. Entre eles, uma seleção de curtas de Jorge Furtado, como Ilha das Flores – que também completa 30 anos –, uma mostra de curtas coreanos em homenagem aos 60 anos das relações Brasil-Coreia, incluindo obras premiado diretor Bong Joon-Ho, e ainda um programa canadense que comemora o Ano Internacional das Línguas Indígenas.