Luciano Leães e Leo Henkin. Foto: Divulgação

01

AGO
HORÁRIOS Quinta 20h

Unimúsica festeja o pop rock gaúcho com clássicos dos últimos 40 anos

A celebração será nesta quinta-feira (1º/8), às 20h, no Salão de Atos da UFRGS

O próximo espetáculo do Unimúsica 2019, projeto desenvolvido pelo Departamento de Difusão Cultural da UFRGS, busca recuperara vasta produção do pop rock gaúcho das últimas quatro décadas. Músicas de bandas reconhecidas nacionalmente, como Engenheiros do Hawaii, Nenhum de Nós e Cachorro Grande, estarão ao lado de canções de ícones da cena underground porto-alegrense dos anos 1980, como Wander Wildner, vocalista do grupo Replicantes, e Jupiter Apple – ou Júpiter Maçã ou Flávio Basso, como preferir –, fundador dos lendários grupos TNT e Os Cascavelletes, falecido em 2015.

A cena da década seguinte também foi lembrada. Hits que marcaram época, como Detetive (Comunidade Nin-Jitsu) e Dívida (Ultramen), estarão no setlist do show. A celebração que rola nesta quinta (1º/8), às 20h, no Salão de Atos da UFRGS, não para por aí.

Leo Henkin, ex-guitarrista da banda Papas da Língua, e o premiadíssimo pianista de blues Luciano Leães, diretores artísticos do concerto Tocando Alto, convidaram outros 10 músicos de estilos diversos para tocarem esses clássicos. Desde Carlinhos Carneiro, frontman da Bidê ou Balde, até novos talentos, como a cantora e compositora Bibiana Petek, Rodrigo Fischmann, vocalista e baterista da banda Dingo Bells, e o jovem guitarrista Erick Endres. A escolha, no entanto, atendeu dois critérios.

– Tem muita gente boa e competente [na cena musical de Porto Alegre]. A gente teve que pensar nisso, mas também tivemos de atender ao critério de competência de quem conhece bastante o repertório que foi produzido em Porto Alegre nos últimos 40 anos, o que não é uma tarefa fácil. Mas dominar isso era importante. Em segundo lugar, a gente pensou muito na junção das pessoas, na afinidade, na química entre as pessoas e na facilidade para trabalhar – explica Leo Henkin.

Além do pop rock, outros gêneros musicais como o reggae estarão representados na produção da noite. Armandinho, por exemplo, terá uma música interpretada por artistas de diferentes estilos. O espetáculo procura fugir da segmentação.

– Nós escolhemos músicas representativas. A ideia é misturar. Por exemplo, o Carlinhos Carneiro canta uma música do Armandinho [Presente de Deus, sucesso na primeira década deste século]. A gente fugiu da segmentação. Nós buscamos artistas com grande expressão. Depois, tem o nosso gosto pessoal de escolher músicas importantes de algum momento da história em Porto Alegre, e também canções bacanas, que têm um brilho – complementa Henkin.

A distribuição dos ingressos acontece a partir de segunda (29/7), das 9h às 18h, no Centro Cultural da UFRGS (Campus Centro) e no Instituto Latino-Americano de Estudos Avançados da UFRGS (Campus do Vale – somente no dia 29 de julho), das 9h às 17h. Serão distribuídos até dois ingressos por pessoa, mediante 1kg de alimento não-perecível por ingresso retirado.

Quinta 20h

Salão de Atos de UFRGS (Avenida Paulo Gama, 110)

1kg de alimento não perecível