ONG lança documentário sobre a vida de LGBTs nas prisões do Brasil

"Passagens: Ser LGBT na Prisão", produzido pela ONG Somos – Comunicação, Saúde e Sexualidade, de Porto Alegre, é resultado de entrevistas com pessoas LGBT em privação de liberdade no Brasil

O documentário Passagens: Ser LGBT na Prisão, produzido pela ONG Somos  Comunicação, Saúde e Sexualidade, de Porto Alegre, é resultado de entrevistas com pessoas LGBT em privação de liberdade no Brasil. O curta-metragem é produto do projeto Passagens – rede de apoio a LGBTs nas prisões, coordenado pelo assistente social Guilherme Ferreira e pelo advogado Caio Klein.

O projeto foi realizado entre 2018 e 2019 e percorreu até o momento 13 instituições de privação de liberdade no país, construindo o primeiro mapa do encarceramento LGBT brasileiro. Além da coleta de narrativas, histórias de vida e denúncias dos LGBTs nas prisões, o projeto já atingiu diretamente mais de 500 trabalhadores do sistema prisional com palestras sobre direitos humanos e diversidade sexual e de gênero.

Os dados recolhidos após pesquisa virtual com unidades prisionais demonstrou que o número de pessoas LGBT na prisão é subnotificado no Brasil. Enquanto os dados oficiais apontam a existência de 1.730 pessoas LGBT em privação de liberdade, a pesquisa quantitativa cuja taxa de retorno foi de apenas 5% indicou 572 pessoas LGBT presas – ou seja, o número real de LGBTs nas prisões pode ser quase 10 vezes maior. Apenas em São Paulo, se estima existir mais de 5 mil pessoas LGBT presas.

Além do documentário e da coleta de dados, o projeto Passagens também buscou aumentar o debate sobre direitos humanos, gênero e sexualidade nas prisões, bem como divulgar boas práticas que possam ser transformadas em políticas públicas para essa população.

 

Confira o documentário Passagens: Ser LGBT na Prisão: