Festival de Gramado anuncia os longas gaúchos concorrentes da 47ª edição

Neste ano, pela primeira vez, a mostra competitiva conta com uma categoria destinada às produções do Rio Grande do Sul

O cinema do Rio Grande do Sul ganha grande destaque no 47º Festival de Cinema de Gramado. A mostra de longas-metragens gaúchos, já realizada em outras edições, passa a ser competitiva, com a categoria Melhor Filme. A iniciativa é uma forma de valorizar o cinema realizado no Estado, que tem uma produção em crescimento e, também, atende uma demanda das entidades de cinema do Estado.

O festival, que historicamente valoriza as produções locais, agora confere outro status ao espaço reservado para cineastas e profissionais do audiovisual. Para a estreia da categoria, foram selecionados cinco títulos.

 

Plauto, um sopro musical, do diretor Rodrigo Portela, é um documentário que conta a vida e a obra do músico gaúcho Plauto Cruz, considerado um dos melhores flautistas do Brasil. Esse é o primeiro longa de Portela, que já dirigiu os curtas Continuidade (1997), Só Algumas para Mostrar a Vocês ( 2001), Rango (2007) e Reflexo (2017), além de ter sido corroteirista do longa Noite de São João (2003).

Elenco: Zé Adão Barbosa, Evelyn Ligocki, Lucian Krolow, Miguel Vicente Cirone, Fabricio Vigueras.

 

Os Pássaros de Massachusetts, dirigido por Bruno de Oliveira, é um drama que narra a história de Sofia, Fernanda e Bruno, que se conhecem durante um inverno em Porto Alegre. Estreante em longas-metragens, Bruno já dirigiu diversos curtas, entre eles A Antologia de Antonio (Mostra de Tiradentes 2017) e Maçãs em Fogo (Festival de Gramado 2018).

Elenco: Sofia Nóbrega, Fernanda Detoni, Bruno de Oliveira, Michel Legrand.

 

Disforia, de Lucas Cassales, é um misto de ficção e suspense psicológico. A trama conta a história de Dário, um psicólogo que volta a atender crianças depois de um trauma pessoal. Sua primeira paciente é Sofia, uma menina de nove anos que provoca sensações angustiantes nas pessoas que a cercam. Um turbilhão se reinicia na vida de Dário, trazendo culpas e fantasmas que ele pensava estarem enterrados.

Cassales  já dirigiu os curtas Sofá Verde (2010), Sebo (2009), Abismo (2013) e O Corpo (2015), que recebeu os Kikitos de Melhor Filme e Fotografia na mostra cometitiva de curtas-metragens brasileiros (CMB) no 43º Festival de Cinema de Gramado e o Prêmio do Júri da Crítica no Paris Courts Devant.

Elenco: Rafael Sieg, Isabella Lima, Vinícius Ferreira, Juliana Wolkmer, Janaina Kremer, Ida Celina Weber.

 

Super Tinga, Herói de Dois Continentes, dirigido por Luciano Moucks e Luciana Rodrigues, é sobre o Super Tinga, herói que nasceu nos quadrinhos de super heróis de um morador da periferia, virou monumento público em Porto Alegre, serie de TV, game e gerou outros heróis que também viraram monumentos públicos em diversas cidades. Super Tinga também é herói dos africanos.

Elenco: Paulo das Neves.

 

Raia 4, que também concorre na categoria de longas-metragens brasileiros (LMB), é dirigido por Emiliano Cunha. Na história, Amanda é uma atleta de natação pré-adolescente. Silenciosa e reservada encontra segurança em seu próprio mundo: debaixo da água, onde os segredos não podem ser ouvidos. Sem a atenção dos pais, aproxima-se de Priscila, uma colega de treino, que se torna sua adversária.

Cunha já dirigiu os curtas O Cão (2011), Lobos (2012), Tomou Café e Esperou (2013) e Sob Águas Claras e Inocentes (2015). Recentemente dirigiu quatro episódios da série A Bênção (Canal Brasil).

Elenco: Brídia Moni, Kethelen Guadagnini, Fernanda Chicolet, Rafael Sieg, José Henrique Ligabue, Fernanda Carvalho Leite, Arlete Cunha.