Matinal assinantes

Cartaz do filme "Tesouro Perdido", de 1927. Foto: Divulgação

23

JUL

29

SET
HORÁRIOS Ter a sex das 9h às 20h30min
Sab dom e feriados das 14h às 20h30min

“Cartazes: Uma História do Cinema Brasileiro” na Cinemateca Capitólio

A exposição com pôsteres que retratam a história do cinema brasileiro durante 90 anos será inaugurada nesta terça-feira (23/7), às 19h30min, com curadoria da historiadora Alice Trusz

VER GALERIA

Inaugura nesta terça (23/7), na Cinemateca Capitólio, a exposição Cartazes: Uma História do Cinema Brasileiro, que acompanha os principais fatos da história do cinema brasileiro entre 1928 – ano da inauguração do Cine-Theatro Capitólio – e 2018, data em que o prédio completou seu 90º aniversário, por meio de uma narrativa construída a partir de uma seleção de alguns de seus cartazes mais significativos, boa parte deles pertencentes ao acervo da instituição.

Com curadoria assinada pela historiadora Alice Trusz, concepção visual da designer Tatiana Sperhacke e expografia a cargo de Andreia Vigo, a exposição é formada por três módulos: o primeiro deles apresenta uma linha do tempo, com 101 cartazes, fotografias e pequenos textos. O segundo módulo exibe um slide-show, que projeta uma seleção de cartazes digitalizados. Já o terceiro e último módulo traz uma projeção de trechos dos filmes representados nos cartazes da exposição.

O público é convidado a percorrer a história do cinema brasileiro em suas distintas temporalidades, valorizando o cartaz como peça fundamental para a divulgação dos filmes, e que por isso mesmo são peças que se constituem como objeto de interesse para o acervo da cinemateca, tanto por seu valor documental quanto artístico.

– Nessa exposição, os cartazes de cinema são abordados enquanto peças de uma coleção museológica e fatores de cultura. Sob esse novo estatuto, eles passam a servir como documentos históricos de práticas culturais, que informam sobre as formas de promoção publicitária do cinema, as mudanças no gosto do público, a história do design gráfico e a história do cinema. Como referências dos filmes, eles permitem evocar a sua lembrança e, assim, ganham um novo valor. Eles são memória e provocam memória, dos filmes e da experiência subjetiva de tê-los assistido – revela a curadora.

Alice contou com a assessoria de pesquisa de Marcus Mello e Rosemeri Iensen. A mostra permanece aberta ao público até 29 de setembro, com entrada franca.

Cartazes integra a programação especial com 26 atividades com patrocínio master da Petrobras e produção cultural da Fundacine e Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por meio da Secretaria da Cultura – Coordenação de Cinema e Audiovisual.

Ter a sex das 9h às 20h30min, Sab dom e feriados das 14h às 20h30min

Cinemateca Capitólio (Rua Demétrio Ribeiro, 1085)

Entrada franca