“Picadeiro Faz de Conta”. Foto: Iassanã Martins/Divulgação

Novidades nos palcos gaúchos

Cia. In.Co.Mo.De-Te e Cia Rústica preparam as novidades que subirão aos palcos da Capital após o Porto Alegre Em Cena, que acontece em setembro

VER GALERIA

Grupos teatrais preparam as novidades que irão subir aos palcos da Capital após o Porto Alegre Em Cena, que acontece em setembro. Entre as estreias, estão os espetáculos Cinzas, da Cia. In.Co.Mo.De-Te Picadeiro Faz de Conta, da Cia. Rústica.

Dirigida por Carlos Ramiro FensterseiferCinzas será a primeira montagem gaúcha para o texto original Palace of the End da dramaturga canadense Judith Thompson. Liane Venturella e Nelson Diniz irão interpretar dois monólogos. Sobre o palco, personagens com visões distintas sobre a guerra - um pesquisador de armas nucleares e a esposa de um líder político contrário ao regime.

Baseada em fatos reais, a peça representa um desafio ao trabalho desenvolvido pelo grupo. A proposta ressignifica o espaço cênico como um lugar íntimo e solitário no qual os personagens transformam os espectadores em cúmplices de suas memórias e sentimentos.

A produção entrará em cartaz em novembro, ainda sem teatro definido. Também integram a equipe Álvaro RosaCosta, que assina a cena sonora, e Nara Maia, que irá criar a iluminação. A peça foi encenada em 2011 no Rio de Janeiro, com direção de José Wilker e tinha Vera Höltz e Camila Morgado no elenco.

Já a Cia. Rústica prepara uma nova produção destinada ao público infanto-juvenil. Com direção de Patrícia FagundesPicadeiro Faz de Conta vai estrear em Porto Alegre no dia 28 de setembro na Sala Álvaro Moreyra.

O elenco é formado por Heinz Limaverde, Diego Nardi e Roberta Alfaya. A montagem irá estimular a capacidade de imaginar juntos, pais e filhos. E, assim, inventar outras possibilidades de existência. 

A peça celebra a brincadeira, a imaginação e a memória em um picadeiro onde tudo pode acontecer e todos podem ser o que quiserem. Brincando de "faz de conta", os personagens Grandão, Faceira e Leão nos convidam a inventar mundos e lembrar grandes artistas brasileiros. Contam histórias com muita música, jogo e poesia.

Narrativas, canções, bambolês, teatro, referências pop e o universo circense compõem esse picadeiro sensível e agitado que propõe um encontro festivo com o público. Com diversas produções premiadas no currículo, a trupe encena o segundo espetáculo destinado a crianças  - o primeiro foi Pandolfo Bereba, em 2005.

A atração vai integrar a Temporada Rústica, que terá ainda dois solos do grupo para o público adulto também dirigidos por Patrícia Fagundes. Em comum, os três espetáculos têm o perfil de proximidade com a plateia e jogo com teatralidade, combinando humor, crítica e dimensão sensível.

Na comédia Desmedida Naitchy Club, Heinz Limaverde conduz a cena em clima de boate para expor o amor como possibilidade em tempos de ódio, brindando ao que está fora da ordem. Já, em Boca no Mundo, o ator Carlos Mödinger se inspirou na própria história de vida para compor a dramaturgia.

Do menino que amava os livros ao adulto que revisita memórias da família de imigrantes e pesquisa a história do Brasil, surge o personagem que dialoga com os espectadores, celebrando a palavra e a poesia.