Cena do filme "Democracia em Vertigem". Foto: Netflix/Divulgação

Registro triste e doloroso do percurso de nossa claudicante democracia

O documentário "Democracia em Vertigem" apareceu entre os melhores filmes de 2019 até agora em lista publicada no The New York Times. Longa já é cotado como um dos favoritos ao Oscar de documentário

O documentário Democracia em Vertigem, da diretora Petra Costa, apareceu entre os melhores filmes de 2019 até agora em lista elaborada por Stephanie Goodman, editora de cinema do jornal norte-americano The New York Times. Lançado mundialmente em 19 de junho na plataforma de streaming Netflix, o filme aparece entre as oito produções escolhidas por Goodman, ao lado de grandes produções como Rolling Thunder Revue, documentário de Martin Scorsese sobre uma turnê de Bob Dylan, e Fora de Série, dirigido por Olivia Wilde.

Com avaliações positivas de diversos críticos de cinema internacionais, Democracia em Vertigem já é cotado como um dos favoritos para o Oscar de melhor documentário.

No filme, Petra Costa convida o espectador a dividir com ela o espanto pelos rumos políticos que o país vem trilhando especialmente após a redemocratização. Misturando imagens de arquivo, filmes caseiros, excertos de reportagens jornalísticas e belas cenas aéreas e dos corredores palacianos de Brasília, a diretora costura com fluência uma narrativa sobre o calvário institucional nacional desde a construção da atual Capital Federal até hoje. Como João Moreira Salles em No Intenso Agora (2017), Petra narra seu documentário em primeira pessoa, relacionando episódios da história recente do Brasil a sua trajetória familiar – o avô era sócio de uma das maiores construtoras do país, os pais foram militantes de esquerda perseguidos pela ditadura.

O resultado é um registro triste e doloroso do percurso de nossa claudicante democracia nos últimos 35 anos – do sonho da emancipação política e do crescimento econômico ao pesadelo do descrédito das instituições e da volta do fascínio pelo autoritarismo atuais. A despeito do juízo que se faça das análises e conclusões de sua realizadora – pouca ou excessiva crítica à atuação do PT e seus líderes nesse período, simpatia demais ou muita frieza com relação aos governos petistas –, Democracia em Vertigem merece aplauso por revelar anseios e temores íntimos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff com uma humanidade e dignidade que projetos aparentados como o documentário O Processo (2018), de Maria Augusta Ramos, sobre o impeachment de Dilma, não lograram alcançar.

 

Assista ao trailer de Democracia em Vertigem: