Capa. Foto: Divulgação

13

JUN
HORÁRIOS Quinta 19h

Fotógrafa e ativista brasileira escreve livro sobre histórias e lutas em alto-mar

A carioca Barbara Veiga lança nesta quinta-feira (13/6) o livro "Sete Anos em Sete Mares", com sessão de autógrafos, às 19h, na Livraria Bamboletras

VER GALERIA

Depois de navegar o mundo por sete anos para defender o meio-ambiente, enfrentar piratas, prisões e tempestades em alto-mar, a fotógrafa e ativista Barbara Veiga decidiu transformar sua história em livro. As experiências a bordo do veleiro Papaya e as missões realizadas de uma ponta a outra do planeta preencheram as páginas de Sete Anos em Sete Mares, que tem lançamento nesta quinta (13/6), na Livraria Bamboletras.

Barbara já fez parte do Greenpeace e da Sea Shepherd e descobriu a vontade de lutar pelas causas ambientais ainda na adolescência. A preocupação com o lixo que encontrava diariamente em trilhas e praias transformou-se em impulso para participar de causas maiores. A defesa pela manutenção e respeito a biodiversidade do planeta em que vive  tornou-se prioridade. Além das dificuldades e de abdicar de uma vida mais comum, a ativista acumula uma enorme bagagem de aprendizados e experiências transformadoras.

– Muita coisa acontece na sua vida em sete anos. Eu embarco na defesa das causas ambientais há mais de 15 anos. No livro, relato as experiências nesses últimos anos de missões. Quando voltei de viagem percebi que acumulei mais de 50 caderninhos cheios de alegrias e decepções. Sete Anos em Sete Mares fala sobre aprendizados, dificuldades, dúvidas, lutas e muito amor. Desejo mostrar a urgência que o tema pede – destaca a fotógrafa.

O livro em formato de diário de bordo tem escrita intimista e mostra as experiências e desafios enfrentados no cotidiano de uma ativista no mar. A escrita ajudava a refletir sobre o que vivia diariamente, transformando em palavras momentos de força, entrega e dificuldades. Barbara dá protagonismo aos impactos ambientais causados pela displicência dos homens.

– Eu queria lembrar daquilo no futuro e a escrita me colocava mais perto dos meus sentimentos. O importante é cada um, à sua maneira, agir em prol de todas as formas de vida existentes na Terra – lembra a fotógrafa e documentarista.

Quinta 19h

Livraria Bamboletras (Rua General Lima e Silva, 776)

Entrada franca